Você vai cumprir as resoluções que listou para 2012?

Data 29/05/2012

Isso é muito válido, pois para fazer com que os sonhos sejam realizados torna-se uma "estratégia" colocá-los no "papel". O "X" da questão é que já estamos chegando ao mês de junho e é provável que muitas ações que de deveriam serem consideradas prioritárias para o desenvolvimento profissional ou a alavancagem na carreira de muitos talentos, já foram esquecidas e, em alguns casos, nem sequer foram iniciadas. Como ainda estamos no final do primeiro semestre, vamos conferir se esse é um bom momento para rever suas metas e analisar se elas estão precisando de um novo direcionamento estratégico?

1 – Primeiramente, não transforme esse momento de rever suas metas em uma situação de crítica extrema a si. Considere essa oportunidade como uma fase de aprendizado, pois você terá a chance de fazer uma autoavaliação e, quem sabe, conhecer um pouco mais sobre você mesmo.

2 – Quantas vezes por semana você encontra tempo para rever a listagem de resoluções tomadas para serem realizadas no decorrer de 2012? Mesmo que você tenha uma ótima memória, nada custa conferir as decisões que farão o diferencial para você em curto, médio e longo prazo.

3 – Ao ver sua lista de prioridades, veja quais aquelas que já estão em andamento e faça uma perspectiva se conseguirá concluí-las até final de 2012. Para aquelas que estão bem "adiantadas" destaque-as em verde e para as que se encontram em ritmo lento, utilize o amarelo. Isso chamará sempre a sua atenção para o que vai bem ou que precisa de mais atenção da sua parte.

4 – Para as resoluções que você não deu nem o "pontapé" inicial, sinalize-as em vermelho, mostrando que estão na zona de perigo. Avalie os fatores que influenciaram para que essas metas não saíssem do papel e tente encontrar recursos mais viáveis para colocá-las em prática. Por exemplo, se seu desejo era realizar um curso presencial, mas todas as opções chocam com o horário do expediente de trabalho, comece a pensar na possibilidade de realizar um curso à distância que, geralmente, se adéqua à realidade de quem deseja estudar, mas dispõe de pouco tempo.

5 – Outro ponto importante é avaliar se essas prioridades que hoje se encontram em "vermelho" são viáveis para serem cumpridas até o final do ano. Questione se são realmente necessárias, para que você não faça investimentos desnecessários e tampouco perca seu valioso tempo. Seja prático e realista, pois talvez seja preciso algo a mais para realizar esse objetivo específico, mas para isso será preciso traçar uma nova estratégia.

6 – Desenvolvimento requer comprometimento. Tenho uma amiga que todo início de ano mostra-se determinada a fazer um curso de línguas e outro específico para o setor em que ela atua. Contudo, basta chegar o momento de realizar as matrículas que ela fica na dúvida e em pouco tempo "desvia" o dinheiro que tinha reservado para seus estudos para outras finalidades que ela reconhece, poderiam "esperar". Quando se tem um objetivo, é preciso ter comprometimento consigo e determinação para atingir suas metas.

7 – Caso o desempenho que deseja atingir esteja ligado diretamente ao seu trabalho e foi traçado em conjunto com a empresa, converse com seu gestor e não espere apenas que ele dê o feedback. Pergunte que competências, por exemplo, você pode e deve trabalhar para atingir o que foi acordado.

8 – Um fator importantíssimo, para apresentar um melhor desempenho no trabalho ou conquistar objetivos pessoais é saber administrar bem o seu tempo. Não adianta argumentar que você falhou em algo, porque o ano está "voando". É preciso manter um equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, porque a balança não pode pender apenas para um lado. Se isso ocorrer, cedo ou tarde você sentirá as consequências. Lembre-se de que por mais determinação que tenhas, você é um ser humano e não uma máquina que foi programada para funcionar no automático.

9 – Lembra-se daquelas prioridades que se encontram sinalizadas em amarelo? O que falta para que elas possam fazer parte do clube das que estão destacadas em verde? Caso algum fator esteja atrapalhando o seu desenvolvimento, veja o que lhe falta e converse com pessoas que já obtiveram êxito naquilo que você deseja alcançar. Não tente empurrar com barriga, pois isso pode comprometer o êxito de uma conquista importante.

10 – Esteja pronto sempre para recomeçar e não deixe que fatores externos o façam cair na armadilha do desânimo. Se, por acaso não conseguir dessa vez, tenha a certeza de que numa segunda tentativa, você estará mais apto para superar desafios – principalmente porque teve a oportunidade de desenvolver competências tanto técnicas quanto comportamentais. Se cometer um erro, aprenda com ele. Considere toda fase como uma chance de aprendizado.

 

Esta notícia foi publicada no RH.com.br, em 29/05/2012

Comentários