Por que ficar de olho no fit cultural durante a seleção?

Data 24/09/2019

Ter uma cultura organizacional bem estabelecida e, acima de tudo, clara é uma importante vantagem competitiva, tanto para se destacar frente aos concorrentes quanto para tornar sua marca cobiçada aos futuros profissionais. Atentar-se ao alinhamento entre a cultura da empresa e o fit cultural do candidato garante a otimização  dos métodos de contratação, tópico que está entre as tendências de RH para 2020.

E não é à toa que essa preocupação vem à tona com cada vez mais força. Ter colaboradores alinhados à cultura da empresa ajuda a transformá-los em embaixadores da marca empregadora, o que, consequentemente, atrai outros talentos.

É o que confirma o levantamento realizado pela Gallup, em mais de 155 países. Segundo o estudo, há uma ligação direta entre o desempenho dos funcionários e a proximidade com a cultura organizacional do negócio. Desse modo, os esforços para constatar a aderência dos candidatos aos valores da companhia devem se iniciar já no processo seletivo, continuar durante o onboarding e seguir ao longo da trajetória na companhia.

Por que observar o fit cultural antes da contratação?

Segundo o relatório da consultoria, a incompatibilidade entre valores pessoais e a cultura da empresa seria um dos principais obstáculos para melhorar o engajamento do colaborador.

Para isso, identificar os aspectos que são esperados dos futuros colaboradores e compreender quais são as características que formam a cultura organizacional de sua empresa torna-se imprescindível.

Portanto, analise os seguintes pontos:

Como líderes definem o propósito da companhia e como eles comunicam esses valores através de mensagens e ações;

A presença e relevância dos valores da organização no dia a dia dos colaboradores;

O quanto o investimento no capital humano é capaz de reforçar a cultura desenhada para a empresa;

Como a estrutura interna da companhia se alinha ao propósito do negócio através de hierarquias mais ou menos flexíveis;

A avaliação do desempenho dos funcionários e a oferta de recompensas compatíveis com os valores internos.

Frequentemente, durante o processo de recrutamento e seleção, os aspectos avaliados são apenas técnicos, as chamadas soft e hard skills. Porém, segundo o GPTW, isso é um equívoco, afinal, um profissional pode ter um currículo que atenda às necessidades do cargo, mas nenhuma relação entre seu fit cultural e os valores da empresa.

Para auxiliar durante o processo e obter dados concretos, os recursos de People Analytics podem ser um método eficiente durante a leitura das nuances da cultura organizacional. Interpretar o comportamento dos colaboradores e líderes torna-se fator imprescindível para garantir que a cultura comunicada seja a mesma que o público interno vivencia.

Quer conhecer mais ferramentas que podem auxiliar sua empresa a avaliar processos internos e a melhorar seu desempenho? Clique aqui e veja as soluções oferecidas pela LG lugar de gente.