fbpx

Liderança no mundo VUCA: desafios e reflexões

Data 23/02/2021
liderança mundo vuca

O termo “Mundo VUCA” vem sendo abordado há muitos anos no contexto empresarial. A expressão surgiu de um acrônimo das palavras em inglês: Volatility (Volatilidade), Uncertainty (Incerteza), Complexity (Complexidade) e Ambiguity (Ambiguidade), que representam as características do mundo e as principais dificuldades ou mesmo novas oportunidades para as organizações. No entanto, a pandemia impulsionou ainda mais seu significado.

Para falar sobre o tema, o 21º episódio do podcast Pra Gente contou com a participação de Alexandre Costa, Designer de Desenvolvimento Organizacional e de Liderança da Leadership LAB, e de Felipe Azevedo, Presidente da LG lugar de gente e porta-voz do bate-papo.

Ouça agora o episódio do Podcast #PraGente com o tema “Capacidades de liderança no Mundo VUCA”.

Pensando nas mudanças trazidas pela pandemia de covid-19, Alexandre acredita que gradativamente os líderes precisam lidar com uma grande quantidade de informações e rápidas tomadas de decisões, o que exige novas habilidades comportamentais.

Segundo ele, o aumento do volume de trabalho gerou uma sobrecarga física e mental nos executivos em empresas de diferentes portes. E que foi preciso se reinventar para ampliar a velocidade da disponibilidade oferecida.

Mundo VUCA e as habilidades comportamentais exigidas

Em um contexto de pandemia, é imprescindível enfrentar situações que oferecem desafios completamente diferentes, mas isso nem sempre é fácil. “A necessidade de lidar com dois pólos opostos é o que tem gerado um desgaste mental e, às vezes, as pessoas não estão preparadas”, afirma Alexandre.

De acordo com Felipe, para enfrentar esse cenário existem algumas práticas que podem ajudar, como a gestão de times remotos, mas ainda é um desafio conciliar todo o estresse da quantidade de informação com a gestão do tempo.

Para o Presidente, os pontos principais dentro das organizações hoje são as famosas soft skills e a capacidade de adaptabilidade, porque o futuro é incerto e as mudanças são rápidas. “Estamos vivendo um mundo de modificações e nas empresas se observa o movimento de transformação digital casado com o objetivo de gerar mais engajamento e melhorar a experiência do colaborador, mas existe todo o trabalho de desenvolvimento de liderança e de novos modelos de carreira”, explica.

Felipe também cita uma frase ainda atual de Peter Drucker, considerado o pai da administração e da gestão moderna. “O maior perigo para as organizações em tempos turbulentos não é a turbulência em si, mas agir com a lógica do passado”, menciona.

Diante disso, Alexandre Costa explica que é preciso adquirir uma visão ágil para testar novas ideias, projetar diferentes soluções, sem ficar preso aos acontecimentos do passado.

O especialista destaca que para agir de forma equilibrada durante os períodos de crise, como o que estamos vivendo, é crucial desenvolver algumas competências fundamentais. Confira quais são as habilidades chaves apontadas pelo Designer de Desenvolvimento Organizacional e de Liderança para aprimorar uma nova forma de liderar:

  • Escuta,
  • Empatia,
  • Diálogo,
  • Mente aberta.

Como a tecnologia pode preparar a gestão de pessoas para os desafios?

No bate-papo, os especialistas constataram que a transformação digital que ainda estava sendo implantada nas empresas foi, sem dúvidas, acelerada com o início do trabalho remoto, o que tornou prioridade o acesso a ferramentas em nuvem e de colaboração.

Segundo Alexandre, a tecnologia consegue entender o que está acontecendo no mundo, trazendo isso de forma rápida para que um grupo comece a analisar aquele comportamento. “Como capturamos informação para o sistema? Nós usamos a tecnologia para isso, podemos colocar robôs para ler o que está nos trendings top do Google e o que estão buscando nas redes sociais”, exemplifica.

Além disso, o Presidente da LG lugar de gente salienta que é preciso ter um grande foco na experiência do colaborador, provendo uma série de facilidades para o seu trabalho em casa, na empresa ou em qualquer lugar.

“Essas tecnologias vão evoluir e gerar agilidade, otimização de tempo, melhorar a experiência, ajudar as empresas com o engajamento do colaborador e na retenção de talentos. Temos que usar o advento tecnológico para ter mais produtividade e usar da inteligência artificial para otimização”, conclui Felipe.

Quer saber mais sobre as habilidades para os líderes em 2021? No episódio #21 do Podcast Pra Gente, você tem acesso ao bate-papo completo sobre o mundo VUCA e os novos desafios para a liderança. Clique aqui e ouça agora mesmo.

Compartilhe:
Comentários