fbpx

Liderar na era digital: desafios, competências e expectativas

Data 15/02/2021
liderar era digital

Em janeiro de 2021, Felipe Azevedo assumiu a Presidência da LG lugar de gente e alcançou mais um objetivo em sua carreira profissional. Com mais de 20 anos de experiência em projetos de tecnologia, o especialista em plataformas de gestão de pessoas fala sobre como liderar na era digital.

Competências essenciais para liderar na era digital

O Presidente da LG lugar de gente considera que liderar é a capacidade de influenciar e mobilizar pessoas para fazer algo bem feito, curtindo a trajetória e comemorando os resultados. “Fazer o que fala e dar exemplo é fundamental”, afirma.

Dessa forma, Felipe conta que sua visão de liderança consiste em:

  • Flexibilidade cognitiva
  • Pensamento crítico
  • Crescimento sustentável
  • Execução inovadora
  • Especialidade em comportamento humano
  • Altruísmo digital

A pandemia é um grande exemplo de como tudo se transforma muito rapidamente, principalmente para liderar na era digital. Segundo o Presidente, “nós devemos ter as competências para entregar os resultados do hoje e desenvolver as pessoas para que possam se adaptar às habilidades do amanhã”, explica.

De acordo com uma pesquisa do PageGroup em parceria com o Centro de Liderança da Fundação Dom Cabral, publicada no início de 2021, a pandemia gerou consequências na maneira de gerenciar dos líderes.

Os números da pesquisa mostram que 29% dos entrevistados estão mais atentos às habilidades estratégicas, 22% à gestão de pessoas e soft skills (habilidades interpessoais), 14% priorizam retornos financeiros e custos, 10% não notaram alterações relevantes, outros 10% atentam-se à estrutura organizacional, 6% à habilidade criativa, 5% à habilidades tecnológicas e 3% à autonomia de tarefas.

Tecnologia e a gestão de pessoas na era digital

O processo de implementação da transformação digital foi acelerado em muitas companhias e influenciou de maneira significativa a liderança nessa nova era. Para Felipe Azevedo, ocorreu uma mudança considerável no mercado, seja pelos procedimentos de trabalho novos ou pelas soluções criadas.

Segundo o Presidente, é notável a indispensabilidade de processos otimizados para a área de gestão de pessoas. “Existem muitas empresas usando esse conjunto de soluções integradas, com processos otimizados, onboarding, recrutamento, feedback em tempo real, folha de pagamento nuvem”, exemplifica.

Ainda de acordo com a pesquisa do PageGroup em parceria com o Centro de Liderança da Fundação Dom Cabral, para 77% dos entrevistados houve aumento na adoção de instrumentos tecnológicos.

Felipe afirma que as organizações que já utilizam essas tecnologias estão mostrando ganhos de produtividade e sucesso. Ele ressalta também que gosta de propor soluções significativas e, ao mesmo tempo, administrar os riscos. “Trata-se de um equilíbrio entre ousar, inovar e fazer as coisas bem feitas”, esclarece.

Além disso, é necessário estar aberto à coleta de retornos rápidos do mercado que exigem uma mentalidade ágil, regulando a oferta para que seja imbatível.

Em direção ao sucesso

Felipe Azevedo começou a sua trajetória profissional no primeiro ano da faculdade, no curso de Sistemas da Informação. Participou de um estágio de férias na Fundação Carlos Chagas em 1998, no qual atuou como programador web por um mês.

Depois, iniciou sua carreira de empreendedor criando uma empresa de tecnologia, junto com alguns colegas de curso. Logo no primeiro ano, o empreendimento já garantiu um projeto do Ministério da Educação. Nos três primeiros anos ganharam concorrências em Brasília e em 2001 a empresa foi introduzida ao ramo de tecnologia educacional e foi consolidada como “e-Guru”.

O atual Presidente da LG lugar de gente conta que o principal desafio é conquistar a confiança do cliente e mostrar que há condições de atendê-lo. “A credibilidade é construída a cada entrega bem feita e isso leva tempo”, ressalta.

Felipe relembra que em 2016 a e-Guru já dispunha de uma posição consolidada no mercado e foi quando uniu-se com a LG lugar de gente.

“Na empresa, assumi a diretoria HCM, onde liderava a frente de produtos da eguru e w3 com o objetivo de consolidar uma plataforma completa, integrada e competitiva para gestão do capital humano. Em 2017, me tornei Vice-Presidente da LG, ampliando o meu escopo para a área comercial, arquitetura de soluções e outras áreas. Agora, em 2021, tenho a honra de assumir a presidência.”, relata.

Universo de gestão de pessoas

Quando o Presidente entrou na área de tecnologia educacional, focou em entender sobre o assunto tanto no Brasil como no mundo, produzindo as melhores soluções de forma mais ágil. “À medida em que entrei na LG, fiquei muito impressionado com o potencial desse mercado para tecnologia de gestão de pessoas”, expõe.

Ele explica que antigamente a tecnologia era direcionada ao RH operacional. “Hoje, a gestão de pessoas assume um outro nível de complexidade e importância, já que não será mais possível sobreviver sem pessoas bem selecionadas, capacitadas, motivadas, engajadas, bem treinadas e reconhecidas”, esclarece.

Segundo Felipe, um dos motivos que sustenta a sua trajetória é a satisfação do cliente e o oferecimento do melhor. “Se colocar no lugar do cliente e buscar oferecer o melhor possível. É sempre um pensamento de relacionamento de longo prazo. Queremos ter projetos bem-sucedidos e valorizados. Não vale a pena vender o que o cliente não precisa ou não vai utilizar o máximo do potencial.”, destaca.

Quer ter acesso a materiais atualizados sobre tendências de mercado e liderança na era digital? A Revista Huma possui conteúdos relevantes sobre gestão de pessoas, legislação e mais! Clique aqui e baixe a nova edição na íntegra.

Compartilhe:
Comentários