Como a mudança de mindset da liderança ainda é o maior obstáculo para a inovação

Data 15/06/2020
mudança mindset liderança

A mudança de mindset da liderança perante a evolução da transformação digital e do mundo VUCA não é uma necessidade nova. Mesmo assim, a segunda edição do relatório de tendências de RH, do Great Place to Work (GPTW), constatou que o principal obstáculo para o crescimento das empresas ainda é a mentalidade de seus executivos.

A partir das respostas de 818 entrevistados, o levantamento apresentado no início do ano concluiu que 68% apontam a mudança de mindset da liderança como foco da área de gestão em 2020.

Mais do que isso, pelo menos metade dos entrevistados culpa a mentalidade atual do nível executivo pela incapacidade de lidar com a inovação enquanto a falta de recursos e conhecimento aparecem com percentuais abaixo de 15%.

Mudança de mindset e as pessoas

Cada vez mais inevitável, a transformação digital avança por meio de uma presença crescente de novas tecnologias no mercado. Contudo, para o CEO do Great Place to Work no Brasil, Ruy Shiozawa, é fundamental entender que o início desse processo não está na adoção de ferramentas.

“No Great Place to Work, sempre afirmamos que os melhores resultados são alcançados por meio das pessoas e não apesar delas. Ou seja, quaisquer transformações e mudanças passam pelo fator humano”, afirma Ruy.

Segundo ele, essa jornada de evolução não pode ser separada do capital humano, por isso não é possível construir algo novo e diferente dentro da organização sem o engajamento de seus colaboradores.

Nesse sentido, é fundamental que a mudança de mindset da liderança passe pela percepção do que essa transformação realmente representa e o quanto ela impacta nos negócios.

Para Ruy, as empresas precisam compreender o efeito desse perfil de executivo internamente. “Se o líder ou a líder não for preparado(a) e empoderado(a) para isso, dificilmente essa mensagem chegará às outras partes da organização. Se ele ou ela não abraçar essa missão, como seu time fará o mesmo?”, questiona.

De cima para baixo

A questão é que essa mudança de mindset precisa ser incorporada pela organização de uma forma bastante profunda.

Ruy Shiozawa
Ruy Shiozawa, CEO do Great Place to Work no Brasil

Ainda de acordo com dados do GPTW, fazendo uma avaliação com base no recorte de gênero, apenas 15 dos 150 CEOs das Melhores Empresas para se Trabalhar são mulheres.

Da mesma forma, uma análise da alta liderança mostra que a parcela feminina corresponde a apenas 23%. Esses dados mostram que a diversidade ainda está longe do ideal no cenário amplo.

Na visão do CEO do GPTW no Brasil, dar às pessoas o destaque adequado é tão importante quanto o engajamento delas. E, quando se trata de transformação, a presença de visões distintas é crucial para a avaliação do processo como um todo.

“Até pouco tempo, a transformação digital era comumente associada a elementos palpáveis, como se ela se resumisse à criação de uma área de TI, automatização de processos, adoção de Inteligência Artificial e à troca de maquinário, por exemplo”, avalia.

Começando pelo início

No fim, essa diversidade de olhares e a compreensão do valor do capital humano estimulada pela mudança do mindset no nível executivo é necessário para que o caminho da organização comece onde realmente deve ser.

A verdade é que os impactos dessa transformação podem ser profundos. Sendo assim, Ruy cita uma pesquisa de 2019 da Wipro Digital para ressaltar a importância de trazer essa nova mentalidade desde o início da experiência do colaborador com a empresa.

revista huma mudança mindset

“Focar na conscientização dos colaboradores durante os estágios iniciais da transformação digital é fundamental, já que pessoas e processos foram as maiores barreiras nos dois primeiros anos para as empresas que passaram pela mudança”, reforça.

Por isso, o especialista recomenda que a busca por um novo mindset de liderança comece por uma avaliação realista do momento da organização diante dos desafios do mercado.

“Independentemente do estágio em que a sua companhia se encontra no mundo digital, eu gostaria de fazer um convite: pare e reflita sobre qual nível a liderança da sua organização está nessa jornada”, recomenda.

Feito isso, Ruy Shiozawa explica que o próximo passo na mudança de mindset é focar o papel do capital humano no crescimento da empresa. “Para operar uma transformação no seu negócio, primeiro é necessário transformar quem faz acontecer. A verdade é que, seja como empresa, seja como sociedade, nós não fazemos nada e não vamos a lugar algum sem as pessoas”, completa.

Quer saber mais sobre as principais tendências e soluções para tornar seu RH mais eficiente e estratégico para o seu negócio. Clique aqui e leia a última edição da Revista Huma para conferir os insights de alguns dos maiores especialistas da gestão de pessoas.