Reinvenção da gestão de pessoas: conciliando tecnologia e humanização

Data 05/01/2021

Estamos vivendo o novo normal. A tecnologia, mais do que nunca, está a serviço das pessoas, proporcionando proximidade durante distanciamento social. O momento exige a reinvenção da gestão de pessoas, fazendo com que soluções tecnológicas ganhem cada vez mais espaço permitindo que as empresas mantenham o relacionamento com seus colaboradores e otimizem suas atividades.

O paradoxo de que as máquinas substituirão os humanos está caindo por terra. O relatório “Impactos da Covid-19 no futuro do trabalho“, promovido pela Deloitte em 2020, aponta que a pandemia reforçou a convicção de que pessoas e tecnologias são essenciais para as organizações.

Segundo o levantamento, enquanto as companhias procuravam adaptar suas maneiras de trabalhar, em resposta à crise, muitas descobriram que a adoção da tecnologia não foi o maior desafio. A dificuldade encontrada por elas estava em construir modelos para integrar seres humanos com as soluções e criar hábitos e práticas de gerenciamento de como as pessoas se adaptam, se comportam e trabalham em parceria com a tecnologia disponível.

Ainda de acordo com o relatório, a crise apresenta uma oportunidade para as organizações superarem o instinto de tratar humanos e máquinas em caminhos paralelos. Além disso, o estudo recomenda que a pandemia deve servir como uma janela para o que pode acontecer se a interseção entre humanidade e tecnologia e a oportunidade de operar como um verdadeiro empreendimento social não forem totalmente adotadas.

Seguir em frente com foco nas pessoas

Uma das empresas que se viu diante da reinvenção da gestão de pessoas foi o Grupo Aço Cearense, cliente da LG lugar de gente desde 2014. A companhia é líder no segmento do aço nas regiões Norte e Nordeste do país e atualmente conta com quase 4 mil colaboradores diretos.

De acordo com Cinthia Cavalcanti, Diretora de Desenvolvimento Organizacional e TI no Grupo Aço Cearense, uma das principais mudanças que a pandemia trouxe para o RH foi o avanço significativo em agilidade.

“Seja para pensar na forma de cuidar das pessoas para que não adoecessem, seja para se adequar e utilizar as novas legislações trabalhistas que apareciam a cada dia, seja na adaptação repentina ao home office. Enfim, gestão de mudanças na prática, com muita comunicação, gestão de riscos e, claro, de oportunidades”, relata ela.

Tecnologia em nuvem: o suporte ideal para reinvenção da gestão de pessoas

Considerando que estamos em um mundo cada vez mais digital, Cinthia acredita que a área de gestão de pessoas precisa utilizar a tecnologia ao seu favor. Para ela, neste momento, o RH deve: “Redesenhar antigos processos para aproveitar as ferramentas digitais disponíveis, estar conectado com outras áreas da organização que estão mais avançadas na Indústria 4.0 e aprimorar a prestação de serviços ao cliente interno”, ressalta.

Empresas que já possuíam soluções de RH na nuvem, como o Grupo Aço Cearense, conseguiram ajustar os processos de gestão de pessoas durante a pandemia sem muitas dificuldades. Cinthia destaca que, sem dúvidas, o acesso remoto foi urgente e repentino, mas a empresa conseguiu equilibrar as demandas com serenidade e resiliência.

“Os nossos projetos para nuvem não estão muito associados às demandas da pandemia e sim à evolução dos processos de RH para melhor atender aos gestores, colaboradores e às diretrizes estratégicas da organização”, afirma.

A diretora fala sobre como o Grupo Aço Cearense tem otimizado a gestão de pessoas com o apoio da tecnologia. “Estamos na fase de desburocratizar processos e automatizar rotinas internas. Os resultados em produtividade da equipe são bem relevantes. Além disso, um grande diferencial é a utilização do People Analytics para disponibilizar para os gestores todas as informações necessárias para uma melhor tomada de decisão em relação ao time”, comenta.

O que esperar do futuro da gestão de pessoas?

Sem dúvidas, a área de gestão de pessoas assume um papel cada vez mais essencial nas companhias, garante Cinthia: “O RH estratégico é parceiro do negócio da empresa, entende a estratégia para definir o time que obterá os resultados, desenvolve e cuida das pessoas, tudo isso com agilidade e conectado ao mundo digital”.

A digitalização da área de gestão de pessoas é fundamental para as empresas. A diretora defende que isso é um reflexo das mudanças trazidas pelo mundo VUCA.

“Independentemente da geração a qual pertencem (X, Y, Z etc.), hoje, as pessoas são digitais. A tecnologia cria oportunidades em tantas áreas, como na educação em ações on-line de qualidade de vida, que digitalizar o RH é criar essa trilha de oportunidades para apoiar o desenvolvimento humano”, ressalta ela.

Para Cinthia, a nuvem faz parte do presente e futuro do RH. Ela dá dicas para as empresas que pretendem adotar a tecnologia: “As soluções em nuvem têm custo menor, sendo mais acessíveis em relação aos benefícios que trazem. O grande cuidado se refere à segurança da informação, e realmente deve existir essa preocupação e investimento”, conclui.

Você já promoveu a reinvenção da gestão de pessoas na sua empresa? Quer saber como a tecnologia em nuvem pode contribuir com esse processo? Confira o ebook “Como tornar a gestão de pessoas mais digital”. Clique aqui e faça o download gratuito.

Comentários