fbpx

6 iniciativas para promover a saúde mental do trabalhador na sua empresa

Data 11/05/2021

Como sua empresa lida com o tema “saúde mental do trabalhador”? Segundo uma pesquisa produzida pela Vittude em parceria com a Opinion Box, em outubro de 2020, o assunto tem grande impacto nos resultados dos negócios. No entanto, o levantamento também mostrou que as companhias ainda têm muito a avançar sobre essa realidade.

De acordo o estudo, as principais repercussões da saúde mental do trabalhador na jornada de trabalho envolvem a perda de concentração e foco (32%), e de criatividade (22%), que influenciam diretamente na produtividade do colaborador. Apesar dos prejuízos evidentes, apenas 23% das empresas mantém informativos sobre os cuidados com a mente, 18% contam com equipe especializadas e 11% oferecem terapia por plano de saúde.

Afinal, como conseguir mudar esse cenário e garantir o bem-estar dos colaboradores de forma efetiva? Foi esse o assunto abordado no 25º episódio do Podcast Pra Gente. A conversa contou com a participação de Priscila Oliveira, Business Partner da Concentrix, e Rogério Davi, Diretor de Sucesso do Cliente da LG lugar de gente.

Durante o bate-papo, a empresa, que é fornecedora de tecnologia em serviços de experiência do consumidor, falou sobre o projeto focado em saúde mental. Confira seis iniciativas adotadas pela Concentrix:

1. Informe seus colaboradores

Priscila explica que o primeiro passo do programa voltado à saúde mental do trabalhador na empresa foi a conscientização sobre a importância do tema, mantendo os funcionários bem-informados.

“Primeiro, procuramos capacitar os pontos de contato locais. Esse é um projeto global, então tivemos treinamento em todos os países. A nossa preocupação era munir essas pessoas com informações sobre saúde mental e compartilhar aquilo que era esperado para o ano”, conta ela.

A profissional acredita que o tema deve ser trabalhado de forma colaborativa. “Buscamos trazer informação para a nossa população e promover espaços de debate. Isso acontece em eventos, palestras e conteúdos em geral nos mais diversos canais de comunicação da empresa, sempre casando com a necessidade do nosso público”, adiciona.

2. Quebre os estigmas

Apesar do crescente impacto de problemas relativos à saúde mental no meio corporativo, o tema ainda é cercado de tabus dentro das empresas. Uma das tarefas importantes na promoção de um ambiente mais saudável é a quebra desses preconceitos.

Para a gestora, envolver os colaboradores no tema faz toda a diferença nos resultados das ações. Neste sentido, a Concentrix levantou dados sobre os principais quadros, desde a incidência de casos até a estrutura do programa em si.

“Além disso, a gente teve uma preocupação muito grande de engajar essas pessoas na causa, de quebrar preconceitos e estigmas, que infelizmente ainda são muito comuns na nossa sociedade”, revela.

3. Busque redes de apoio locais

A profissional também fala sobre a importância de contar com a ajuda das redes de apoio disponíveis no local de cada unidade da empresa. “Pesquisar clínicas, ONGs e grupos de apoio. Ter isso mapeado de uma forma ampla, além de capacitar o RH para conduzir esse tipo de tema no dia a dia é fundamental”, explica.

Para Priscila, o tópico se tornou ainda mais indispensável durante a pandemia. “Já é comprovado que quanto mais o indivíduo é exposto a medos e incertezas, mais sintomas relacionados à saúde mental ele pode apresentar, como respostas ansiosas, que é o que a gente tem visto comumente nas nossas relações e nas pessoas com quem a gente convive”, completa.

4. Escute as pessoas

Ela ressalta ainda a importância de abrir canais de diálogo e escuta como parte essencial para cuidar da saúde mental do trabalhador.

Segundo Priscila, tudo muda quando são abertos e estimulados espaços de escuta ativa e sem julgamento. “Isso se reflete positivamente nas relações dentro das equipes de uma forma geral, quebrando esse isolamento e mostrando que a pessoa não precisa sofrer sozinha e que existem opções de ajuda disponíveis para ela”, destaca.

5. Envolva a todos

A especialista reforça que as empresas não podem substituir ou se sobressair ao trabalho de profissionais especializados na área, mas todos podem contribuir de alguma forma.

“É claro, temos os profissionais capacitados para fazer um tratamento. Mas a gente também pode promover a saúde mental dos nossos colaboradores. Temos que começar a conectar ações que todos possam executar no dia a dia, como o autocuidado”, diz.

6. Não esqueça a saúde mental da liderança

Priscila acredita que os líderes devem atentar-se para o próprio bem-estar, para assim conseguirem lidar com o tema em suas equipes.

“Eu acho que antes de a gente pensar em promover a saúde mental na empresa, temos que cuidar da nossa própria, buscar atividades e momentos que façam sentido e que nos façam bem”, explica.

Para a profissional, é preciso investir em autoconhecimento, entender como sua mente funciona e que ninguém é imune a problemas de ordem psicológica ou emocional.

Iniciativas de resultado

Investir em saúde mental do trabalhador traz ganhos que vão além da experiência e satisfação e alcançam produtividade e retorno financeiro. “Para cada 1 dólar investido em ações que promovam a melhoria da saúde mental dos funcionários, quatro dólares são ganhos com o aumento da produtividade”, revela Rogério, com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Ainda tem muito mais

No Podcast Pra Gente, Priscila e Rogério compartilham vários outros insights que podem ajudar líderes de organizações a gerenciarem seus próprios projetos de saúde mental. Eles ainda falaram sobre:

● Os maiores desafios dos líderes que encabeçam iniciativas de saúde mental.
● Quais retornos reais pode ter uma empresa que promove programas do tipo.
● Como quebrar tabus e preconceitos relativos à saúde mental no ambiente de trabalho.

Ouça ao episódio na íntegra:

Quer ficar por dentro de mais dicas e tendências de gestão de pessoas, liderança e tecnologia? Assine a newsletter Huma e receba os conteúdos no seu e-mail semanalmente. Clique aqui e faça o seu cadastro gratuitamente.

Compartilhe:
Comentários