Trabalho com propósito pode agregar vantagem competitiva em sua empresa

Data 17/09/2019

Atrair e reter talentos têm sido um desafio constante para as organizações. Os profissionais recém-chegados ao mercado buscam diferenciais que, até então, não eram foco nas organizações, mas que podem trazer resultados satisfatórios, inclusive a longo prazo. Exemplo disso é a busca por um trabalho com propósito.

Segundo Paula Oliveira, Gerente de Gente e Gestão na Endeavor Brasil, atualmente, o que diferencia uma organização das demais é sua capacidade de se conectar a objetivos que podem contribuir com transformações efetivas para o mundo e a sociedade.

“Temos visto que o que move as pessoas hoje é a possibilidade de serem protagonistas das histórias. Se as organizações conseguirem passar essa mensagem clara para seus potenciais funcionários, certamente conseguirão atrair pessoas mais conectadas com seus propósitos”,

No mesmo sentido, uma pesquisa recém-divulgada pela Sodexo Benefícios e Incentivos mostra que ter a possibilidade de realizar uma atividade que também beneficie a sociedade é um dos principais desejos da população na busca de realização profissional.

De acordo com o levantamento, que ouviu mais de mil brasileiros entre março e abril de 2019, os entrevistados afirmam que realizar um trabalho com propósito está entre os principais fatores que garantem satisfação e felicidade na função que exercem.

Manutenção do senso de propósito

Para criar e desenvolver esse senso de trabalho com propósito, o estabelecimento de valores deve ser claro e alinhado ao dos colaboradores. Por isso, é necessário também consolidar uma cultura voltada para esse objetivo e buscar profissionais que tenham as características ideais para abraçar o que é proposto pela organização.

Nesse contexto, o RH tem papel estratégico. “Sua função primordial deve ser criar processos e sistemas de gestão de pessoas que reforcem a cultura e que garanta que a organização consiga atingir sua estratégia através delas. Sendo assim, desde o processo de atração e seleção de candidatos, o RH deve se atentar para garantir que traga para o time pessoas que estejam conectadas ao propósito da organização e alinhadas aos seus valores”, explica Paula Oliveira.

Mais do que isso, para ela, a área deve atuar como o guardião da cultura organizacional e desenvolver ações tanto de comunicação como de reconhecimento e recompensa que reforcem o senso de trabalho com propósito dentro da empresa. “Caso contrário, no dia a dia, seus colaboradores podem ter a sensação de que aquilo que se prega é diferente daquilo que se faz”, ressalta.

Por que estimular o trabalho com propósito?

A primeira vantagem da conexão entre princípios pessoais e um senso de trabalho com propósito está no desempenho. “Se conseguirmos colocar em prática nossos valores pessoais, nossa crença e nossas melhores competências, possivelmente a energia empregada para isso será natural e poderemos contribuir de forma mais autêntica”, avalia Paula.

Como ela explica, é natural ao ser humano a busca por trabalhar em algo em que acredita e com pessoas que o incentiva. “Quando a gente consegue encontrar no trabalho esse lugar de inspiração e conexão com nosso propósito pessoal, podemos agregar e contribuir mais como profissionais. Isso porque nos conectamos com nossa essência e conseguimos utilizar nossos pontos fortes a favor de uma estratégia”, ressalta.

Por isso, estimular um ambiente de trabalho com propósito faz com que tanto o colaborador quanto a empresa alcancem mais resultados. De acordo com Paula Oliveira, isso acontece porque não é mais necessário gastar tempo e energia para encontrar um senso comum.

Para a Gerente de Gente e Gestão da Endeavor, os benefícios são mútuos. “O colaborador se sente mais engajado e comprometido em saber que está contribuindo para algo que acredita. A empresa, por outro lado, funciona de forma mais sinérgica e acaba sendo mais eficiente, pois consegue formar um time de pessoas que estão contribuindo para sua missão e estratégia. Ambos os lados ganham”, completa.

Transformação dentro da transformação

Diante do cenário em que trabalho com propósito ganha cada vez mais força, surge o intraempreendedorismo. O conceito define a participação dos colaboradores em processos mais decisivos dentro da organização, desenvolvendo um espírito de “dono do negócio”, o que oferece ao profissional a liberdade para inovar e aprimorar processos.

Para Paula, estimular essa atitude tende a melhorar o desempenho da companhia. “Empreender dentro de algum negócio é ter a possibilidade de, diariamente, construir novas formas de lidar com problemas e criar novas soluções que visem melhorar o status das coisas”, pondera.

Conforme ela avalia, dar espaço aos colaboradores serve para deixá-los mais estimulados e ajuda a empresa a alcançar novos patamares de execução de sua estratégia. “Quando as pessoas trabalham conectadas ao seu propósito, isso acontece naturalmente. Elas acabam se sentindo parte de uma missão maior e vão querer contribuir, desenvolvendo novas funcionalidades em produtos, novos processos internos e outro jeito de lidar com problemas”, aponta.

A especialista frisa que um profissional com a postura de inovação adequada não precisa abrir um novo negócio para ser considerado empreendedor. Mesmo assim, ela lamenta que algumas organizações ainda não percebam como essa postura se alinha a um ambiente de trabalho com propósito. “Nem toda organização estimula esse mindset nos seus funcionários e o resultado disso é que ela pode acabar inovando pouco em seus processos e produtos. Consequentemente, acaba-se perdendo vantagem competitiva diante dos seus concorrentes”, explica.

Precisa de um apoio no seu processo de recrutamento e seleção? Clique aqui e conheça o Gen.te Atrai – Recrutamento e Seleção e garanta assertividade em suas contratações.