Evolução no RH: liderando a Gestão da Experiência Humana

Data 29/09/2020
evolução no RH

Há algum tempo, as empresas perceberam que entender de forma mais ampla o que seu cliente final deseja e oferecer a ele as melhores experiências possíveis, pode ser um fator crítico para o sucesso. O cenário atual evidenciou a importância desta evolução no RH, como explica Felipe Azevedo, Vice-Presidente da LG lugar de gente.

“Quanto mais feliz o colaborador está dentro da empresa, devido às experiências que ele passa, mais engajado e motivado ele fica. E melhores serão as entregas”, afirma.

Cláudia Danienne, Fundadora e CEO da Degoothi Consulting, empresa especializada em cultura corporativa e desenvolvimento humano concorda com ele. Para ela, esse momento de crise deixa ainda mais emergente que o foco esteja nas pessoas.

“As relações entre empresas e colaboradores ficarão mais empáticas, mais tecnológicas em todos os níveis e menos burocráticas. O equilíbrio do ‘high tech com o high touch’ nunca foi tão necessário na cultura organizacional para o que o mundo chama de ‘novo normal’”, aponta. 

HXM: a Gestão da Experiência Humana nas empresas

O termo Human Experience Management (HXM), traduzido para o português como a Gestão da Experiência Humana, se refere a uma forma de pensar a jornada do colaborador e sua relação com a empresa, proporcionando a melhor vivência possível. 

Para esclarecer como funciona esse modelo de gestão, Felipe Azevedo afirma que HXM é uma evolução no RH, pois: “Estamos vivendo uma nova onda de inovação das soluções de gestão de pessoas, colocando o colaborador no centro do negócio”. 

Segundo Cláudia, para ter resultados com excelência e melhorar a experiência do staff, é preciso mapear e entender o seu comportamento, suas intenções e emoções. “É preciso ouvir, medir, interagir, comparar, olhar para fora do próprio business e gerenciar a resultante como cultura, e não um momento pontual da vida da empresa”, defende a profissional.

Melhor experiência, melhores resultados

A busca para oferecer a melhor experiência para os colaboradores torna-se mais evidente quando as empresas observam os resultados gerados. Para Cláudia, existem muitos ganhos: “Entre os outputs estão engajamento, melhor produtividade, alta performance por colaboração, retenção de talentos, fortalecimento de propósito e obtenção de senso de orgulho em pertencer”, exemplifica.

O estudo “What Is Employee Engagement and How Do You Improve It?”, publicado pela empresa global de consultoria Gallup, em 2019, confirma a importância de focar na experiência do colaborador. De acordo com o relatório, a maneira como sua empresa trata os funcionários e como eles se tratam pode afetar positivamente suas ações – ou pode colocar sua organização em risco.

Evolução RH Revista Huma

O levantamento verificou que as organizações que investem na experiência e no engajamento dos colaboradores superaram significativamente os resultados de desempenho dos negócios. “Os funcionários altamente engajados estão envolvidos e entusiasmados com seu trabalho. Eles impulsionam o desempenho e a inovação e movem a organização para a frente”, aponta o documento. 

Evolução no RH com o suporte da tecnologia

Para Felipe Azevedo, a evolução no RH, de HCM (Gestão do Capital Humano, na sigla em inglês) para a HXM, é embarcada pela tecnologia. Felipe destaca que, atualmente, é fundamental que se tenha dentro da empresa uma realidade muito próxima ao que é vivido como pessoa física.

O Vice-Presidente exemplifica ao falar sobre a solução da LG lugar de gente que possibilita o autoatendimento de RH via dispositivo móvel: o Gen.te Mobile.

“A ferramenta permite, nesse momento de pandemia, que as pessoas batam ponto de suas casas, tenham acesso ao recibo de pagamento, dentre outras atividades. Tudo isso proporciona uma melhor experiência para os funcionários, que têm tudo na palma da mão”, explica.

Para Cláudia, quando se fala em experiência do funcionário, o que funciona na empresa X pode não dar certo na Y. “Não se pode padronizar ou usar modelos ultrapassados de treinamento para transferência de know-how, achando que ficarão felizes. Já há exemplos de organizações que adotam a flexibilidade de escolhas individuais da composição dos benefícios, dentro de um portfólio maior que a companhia pode ofertar”, destaca. 

Tecnologia otimizando as etapas da jornada do colaborador

Felipe Azevedo apresenta como a tecnologia pode ser utilizada em algumas etapas do ciclo do funcionário para melhorar sua experiência e colaborar com a evolução no RH:

1 – Processo seletivo

Os candidatos às vagas nas companhias realizam uma série de interações com as empresas antes da contratação. Nesse cenário, o Vice-Presidente explicou que os games corporativos podem tornar o processo mais dinâmico, atrativo e deixar os talentos engajados. 

Felipe Azevedo evolução RH
Felipe Azevedo, Vice-Presidente da LG lugar de gente

2 – Onboarding

Integrar um novo talento pode ser mais simples com o apoio da tecnologia. As ferramentas também permitem que o novo colaborador se sinta importante e valorizado, garante Felipe.

“A solução de onboarding da LG lugar de gente possibilita que o gestor esteja bem instruído com relação às informações que precisam ser passadas. É possível ainda já ter um treinamento mapeado de acordo com as necessidades do novo colaborador, extraídas no processo seletivo, formando uma trilha individual e adaptativa”, comenta.

3 – Treinamento e desenvolvimento

Felipe destaca que ao contar com apoio da tecnologia é possível revolucionar a aprendizagem nas empresas.

“O Gen.te Aprende – Treinamento, solução da LG lugar de gente, conta com um robusto Learning Management System (LMS), que possui completa gestão das ações, avaliações e resultados dos treinamentos ofertados na organização. Uma plataforma poderosa e fácil de usar para centralizar os conteúdos, gerenciar treinamentos on-line, presenciais e on the job e ainda obter indicadores para tomada de decisão”, pontua.

Por onde começar?

Para as empresas que pretendem investir em uma gestão focada na experiência humana, Cláudia recomenda que o RH escute as pessoas.

Cláudia Danienne, Fundadora e CEO da Degoothi Consulting

“Pesquise, exponha os resultados com transparência e incentive a construção de cenários viáveis e maiores. Valorize a ação, oriente para que seu time seja melhor que você. Como líder, seja inclusivo e aposte na diversidade. Quanto mais eclética a estrutura, melhor. Também é importante criar um clima colaborativo. Mesmo na competição, desafie a inovar e reconheça as atitudes de valor”, ressalta. 

Felipe acredita que a evolução no RH, partindo do HCM para o HXM, tem como base o investimento em tecnologia de ponta e um novo modelo de gestão de pessoas.

Essas soluções precisam ser avaliadas de acordo com as práticas da empresa, garante o Vice-Presidente. “É necessário entender o que é importante para os colaboradores, para fazer escolhas do tipo de tecnologia que pode ajudar a organização a entregar uma experiência melhor para aquilo que as pessoas de fato se importam”, defende.

Pois, segundo Felipe, quando falamos de uma nova experiência para o funcionário, falamos de relações mais próximas, qualidade de vida, trabalho simplificado, satisfação pessoal e profissional. 

Quer saber mais sobre a Gestão da Experiência Humana (HXM) nas empresas? Clique aqui e confira gratuitamente o conteúdo completo da Revista Huma. Na 26ª edição, você fica por dentro da evolução no RH e das principais tendências para a gestão de pessoas.