Todas as gerações no mercado de trabalho

Data 04/02/2020
expectativa de vida

O aumento progressivo na idade da população brasileira já é uma realidade. A afirmação vem do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Hoje, a expectativa de vida ultrapassa os 75 anos e, em 2050, deverá superar os 81 anos. Nessa ocasião, 43% dos cidadãos terá 50 anos ou mais.

expectativa de vida

Esses dados mostram que as companhias devem passar por mudanças nos próximos anos. Mas, o aumento da expectativa de vida também exige uma intensa transformação comportamental. A pesquisa Longeratividade, promovida em 2019 pelo Instituto Locomotiva em parceria com a Bradesco Seguros, mostrou que 7 em cada 10 entrevistados acreditam que viverão até os 80 anos ou mais. E entre os profissionais acima de 50, apenas 10% se consideram velhos.

Tanto o aumento da expectativa de vida, quanto as mudanças comportamentais impactam diretamente o mercado de trabalho e as companhias podem se beneficiar disso. Erika Braga, Diretora de Recursos Humanos da PwC no Brasil, percebe um grande potencial nesse aumento da longevidade. Segundo ela, a empresa está atenta a essas transformações, e investe em iniciativas para a inclusão de profissionais acima de 50 anos em seu quadro de profissionais.

Considerar todas as gerações é investir em gestão de pessoas

A abertura da nova mentalidade da PwC se deu a partir da necessidade de qualificar seus talentos. “Somos uma firma prestadora de serviços profissionais. Portanto, investir nas pessoas é essencial para a sobrevivência do negócio. Só com talentos bem preparados, motivados e comprometidos com o nosso propósito, de construir confiança na sociedade e resolver problemas importantes, conseguimos manter nossa relevância no mercado”, explica Erika.

expectativa de vida
Erika Braga, Diretora de Recursos Humanos da PwC no Brasil

Uma empresa focada em pessoas não poderia deixar de considerar a importância de ter várias gerações em seu quadro de funcionários. E foi assim que surgiu o programa Senior Citizens. “A motivação para o desenvolvimento desse projeto veio da nossa estratégia de diversidade e inclusão. O tema ‘gerações’ está no centro, junto a outras pautas tão importantes quanto, como raça e etnia, equidade de gênero, inclusão LGBTI+ e pessoas com deficiência. A expectativa de vida no Brasil está aumentando e é preciso pensar em como absorver e incluir esses profissionais que querem continuar ativos ou retornar ao trabalho depois dos 50 ou 60 anos”, conta a diretora.

O projeto-piloto foi pensado com o envolvimento e engajamento de diversos públicos da empresa. “Fizemos um aprofundamento no tema através de nossas áreas de Talent & Acquisition e de Diversidade & Inclusão para um melhor entendimento do contexto, das particularidades dessa parcela da população e para trabalhar a sensibilização das lideranças que teriam esses profissionais mais maduros atuando em seus times”, revela.

Todo mundo sai ganhando

Em 2018, na PwC, foram contratados cinco profissionais acima de 50 anos por meio do Senior Citizens, conta Erika. “Monitoramos a integração e o desenvolvimento dessas pessoas para entender o que pode ser aperfeiçoado no programa e expandir a contratação de profissionais maduros para as demais áreas de atuação”.

Erika afirma que, para os profissionais selecionados, o benefício imediato é a melhora da autoestima, fator essencial para o envelhecimento saudável. “Entre os profissionais que contratamos, é uníssono que o programa tenha surgido como uma oportunidade de manter-se ativo. Mas também temos casos de talentos que viram no projeto a oportunidade de retornar às suas áreas de formação”, destaca.

A empresa pretende continuar atenta aos desafios geracionais, que já trazem benefícios para a PwC. “Além da experiência de trabalho, esses profissionais contam com uma variedade de competências socioemocionais que agregam valor à nossa firma e trazem uma experiência que é complementar ao que temos por aqui, já que a faixa etária da empresa é composta, em sua maioria, por profissionais muito jovens”, argumenta a diretora.

Qual o papel do RH nesse processo?

A Diretora de Recursos Humanos da PwC conta que a área de gestão de pessoas foi responsável por entender, definir e conduzir a estratégia e os processos de RH necessários para a transformação da organização. “Sobretudo diante das mudanças aceleradas provocadas pela evolução tecnológica”, destaca.

Nesse sentido, a área de Human Capital da PwC promoveu um trabalho de sensibilização das lideranças para a recepção dos novos profissionais. “Fizemos um evento com o nosso líder de Human Capital e da linha de serviço da Consultoria Tributária, na qual eles seriam alocados, para reforçar a importância estratégica do tema para a empresa. A reação dos times e dos gestores foi muito positiva”, enfatiza Erika.

Para os próximos anos

Os resultados foram notáveis e tendem ao crescimento. “Passados um ano e meio, os cinco profissionais contratados continuam conosco, portanto, queremos expandir e relançar o programa para pessoas acima de 60 anos”, revela a diretora.

A expectativa é de que o sucesso seja o mesmo da primeira edição. “Atualmente, todos os contratados no Piloto 50+ estão conosco, trabalhando em suas áreas, sendo extremamente produtivos e, acima de tudo, ensinando muito a todos nós. Por meio do acompanhamento que fazemos junto à gestão das áreas, conseguimos captar que a inclusão desses profissionais vem ocorrendo da melhor forma possível. A mescla de gerações está evidente e gerando bons resultados”, finaliza.

Quer garantir a transformação comportamental na sua empresa? Clique aqui e conte com o apoio das soluções da LG lugar de gente para captar talentos de todas as gerações.