5 dicas da PepsiCo para reinserir mulheres no mercado de trabalho

Data 05/02/2019

Segundo dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT), a participação das mulheres no mercado de trabalho segue menor que a dos homens. De acordo com o estudo, realizado em 2018, a população masculina representa 75% da força de trabalho no mundo, enquanto que a feminina apenas 48,5%. Diante desse cenário, como as empresas podem ajudar a inserir as mulheres no mercado de trabalho?

Imagem de divulgação do programa Ready to Return

Para muitas delas, que por algum motivo se afastaram do mundo corporativo por um longo período, retornar à ativa é um desafio ainda maior. Pensando em todas essas dificuldades, a PepsiCo, produtora de bebidas e alimentos, desenvolveu o programa Ready to Return. O intuito é alcançar mulheres que, por questões pessoais, deram uma pausa na carreira para se dedicar à família ou aos estudos e ficaram longe do mercado por cerca de dois anos.

A Gerente de Talent Acquisition da PepsiCo Brasil, Rafaela Pogrebinschi, explica que o projeto foi lançado em 2017 nos Estados Unidos como estratégia para fomentar a diversidade da companhia. Em 2018, a ação chegou ao Brasil, que saiu na frente como primeiro país da América Latina a adotar a iniciativa. “O programa visa apoiar o retorno dessas mulheres ao mercado de trabalho, por meio de uma experiência temporária com o apoio de gestores, mentores e parceiros, para que sejam reinseridas ao ambiente corporativo”, comenta.

mulheres no mercado de trabalho

E se sua empresa gostaria de fazer algo semelhante, Rafaela lista 5 pontos importantes para investir em ações como essa:

1 – Contrate gente com energia renovada

Primeiramente, vale reforçar que o programa já começa a mostrar resultados. Nos EUA, foram oito vagas, sendo que sete tiveram o contrato estendido além do programa e, por fim, três foram efetivadas nas suas funções. No Brasil, o projeto piloto, que ainda está em andamento, contou com quatro vagas para as áreas de vendas, RH, operações e finanças.

Para Rafaela, o segredo é selecionar pessoas com a experiência e a identificação dos candidatos com a cultura da companhia. “O objetivo é recrutar talentos que queiram retomar suas carreiras e atrair perfis de pessoas com alto potencial e experiência, que possam trazer à companhia novos olhares sobre os desafios atuais do mercado. Além disso, contribuir com energia renovada para que elas possam crescer até chegar nos papéis de liderança que a empresa oferece”, destaca a gerente.

2 – Dê chance para que elas cresçam

Para entender melhor esse ponto, é preciso compreender como funciona o programa. Durante dez semanas na companhia, com o salário e benefícios do cargo, as participantes integram importantes projetos. Elas passam a ter sessões de coaching e de análise de carreira, contando com dicas sobre seus currículos e temas relacionados às suas experiências, além de participarem de treinamentos e imersões para atualização e capacitação de suas habilidades.

Para Rafaela, a PepsiCo reconhece a importância das escolhas pessoais e profissionais do indivíduo e, por isso, privilegia as experiências e perspectivas de mulheres que passaram um tempo afastadas para cuidar de si ou do próximo. “Queremos dar a essas profissionais a chance de atuar em projetos de grande relevância e impacto para os resultados da companhia, permitindo que elas se reciclem e tenham uma nova chance”, salienta.

3 – Fomente a diversidade na cultura organizacional

“Temos forte compromisso com o crescimento da participação de mulheres no mercado de trabalho. Essa iniciativa é resultado de uma cultura organizacional que entende o papel da diversidade para trazer resultados positivos ao negócio”, pontua Rafaela.

A estratégia da PepsiCo é implementar formas de recrutamento inovadoras na busca por novos talentos, para assim, colaborar com a diversidade. Mas, ao mesmo tempo, o programa também quer passar uma mensagem ao mercado: existe potencial na força de trabalho feminina.

Rafaela Pogrebinschi, Gerente de Talent Acquisition da PepsiCo Brasil

4 – Defina objetivos estratégicos

Como começar uma estratégia de diversidade? Rafaela deixa algumas dicas importantes para companhias que desejam colaborar com essa iniciativa. “É importante definir um objetivo e traçar uma estratégia. Em 2006, a PepsiCo estabeleceu sua visão de performance com um propósito que norteia as operações da empresa em todo o mundo. Em 2015, foi lançada a agenda PwP 2025, repleta de objetivos a serem atingidos em um período de dez anos. As metas estão divididas em três pilares: pessoas, planeta e produtos”, explica.

5 – Desenvolva a liderança feminina

Essa é um item importante, já que segundo a empresa de estudos de mercado Ipsos Mori, apenas 3% dos cargos de CEO no mundo são ocupados por mulheres. Os dados são de um levantamento realizado em 2018 que contou com a participação de 27 países.

O tema é uma preocupação da PepsiCo. De acordo com Rafaela, desde que instituiu essa visão de negócio, a organização vem se empenhando cada vez mais em promover uma agenda de liderança feminina dentro e fora da companhia, além dos esforços para reinserir mulheres no mercado de trabalho. “A empresa está buscando novas iniciativas para fomentar a diversidade em sua força de trabalho global, apoiar o avanço das mulheres, além de estimular o desenvolvimento social e econômico em comunidades ao redor do mundo”, completa Rafaela.

Quer ficar por dentro desse e de outros temas de RH? Baixe agora gratuitamente da 20ª edição da Revista Huma e veja outras boas práticas da área de gestão de pessoas. Clique aqui para fazer o download.