Saúde corporativa: 3 tendências que o RH deve acompanhar

Data 01/08/2017
saúde corporativa

Dando continuidade à nossa série de entrevistas sobre os temas que serão ministrados no 43º Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas (CONARH), vamos falar hoje sobre saúde corporativa. Em entrevista à LG lugar de gente, a Diretora Executiva de RH do Hospital Albert Einstein, Miriam Branco, que será uma das palestrantes do evento, explica como a instituição faz o dever de casa, quando o assunto é a saúde dos seus funcionários.

Para Miriam, existem algumas tendências que devem nortear a maneira como o RH enxerga as práticas dessa área. Confira quais são:

1 – Transfira o foco da doença para a saúde

Miriam explica que os hospitais por lidarem muito com a doença, geralmente esquecem de olhar para o viés da saúde. “Nosso foco é trabalhar o bem-estar dos colaboradores desde o momento em que eles chegam na empresa. Fazemos esse acompanhamento não só com ele, mas também com sua família. Então, mapeamos todo o seu histórico e o ambiente em que está inserido”, destaca ela.

Segundo a diretora, ao ser contratado, o trabalhador já é apresentado para uma equipe formada por um médico, técnicos de saúde e enfermeiros. Esse grupo faz a triagem para saber se ele possui alguma doença crônica ou algum problema recorrente e se coloca à disposição para que ele entre em contato, em caso de uma necessidade. “O colaborador passa a ter um acompanhamento personalizado compatível ao seu perfil. Por exemplo, uma pessoa diabética ou um fumante terá uma atenção diferenciada de outros funcionários que não estão inseridos nesses grupos de risco”, reforça Miriam.

2 – Otimize o tempo dos seus funcionários

Como o Hospital Albert Einstein já possui o histórico de saúde dos colaboradores, a organização oferece o recurso de telemedicina para que o colaborador seja atendido rapidamente e não tenha que se deslocar até uma instituição de saúde. “Se for algo menos sério, como nós fazemos esse acompanhamento e temos o quadro do funcionário aqui, ele entra no nosso site e conversa a distância com o médico. Assim, o profissional de saúde já faz uma pré-avaliação e, se for o caso, encaminha esse trabalhador ao local mais indicado para o problema dele”, comenta a diretora.

3 – Invista em tecnologia

Miriam ressalta ainda que o programa só é possível porque os processos são suportados por soluções de tecnologia. “Sem elas não conseguiríamos fazer nada. A tecnologia é a matéria-prima para esse trabalho. Nós temos muitos dados históricos e alguns algoritmos já traçados para poder avaliar curvas de risco na saúde dos nossos colaboradores. Dessa forma, conseguimos oferecer o melhor tratamento. Além disso, contamos não só com o apoio dos sistemas, mas também com profissionais dedicados especificamente a essa atividade e com todo o know-how Einstein”, completa.

 

saúde corporativa

Miriam Branco tem um convite para você!

Quem decide trabalhar com RH, escolhe cuidar das pessoas. Mas no CONARH temos um momento para cuidar de nós mesmos, olhar para a nossa casa e avaliar o que os nossos colegas estão fazendo. Considero o evento uma oportunidade única de troca de conhecimento com outros diferentes ramos de negócio. Por isso, quem é da área de gestão de pessoas não pode deixar de participar!

Comentários