Desafios e tendências da área de gestão de pessoas para 2019

Data 01/02/2019

2019 começou e, nessa época, é comum nos depararmos com reflexões sobre os caminhos pelos quais o RH irá percorrer, as novidades da área e o que estará em pauta para a gestão de pessoas no novo ciclo que se inicia. Nesse cenário, Elaine Saad, Gerente Geral da consultoria SAAD YSC e ex-presidente da ABRH-Brasil, compartilhou na Revista Huma alguns de seus insights e apostas sobre tendências de gestão de pessoas após participar do evento “PeopleTech” no Vale do Silício, juntamente com outros profissionais de Recursos Humanos.

Segundo Elaine, foi uma experiência extremamente instigante e curiosa, que a fez buscar inspirações para pensar no futuro do RH e avaliar sobre os desafios que os gestores irão enfrentar  em 2019. “Uma das primeiras lições do Vale do Silício é compartilhar. A informação não pode e não deve ficar somente com uma pessoa, ela precisa ser multiplicada. Aliás, tudo lá é sobre multiplicar, crescer de forma rápida e exponencial. Porém, ainda hoje nas empresas, vemos profissionais com dificuldade de dividir”, afirma.

Tendências gestão de pessoas

Para a gerente, muitas vezes, os profissionais querem guardar para si o que criaram, o que escreveram ou o que descobriram. No entanto, “a geração que está vindo para o mercado tem outro enfoque sobre isso: não basta ter o conteúdo ou a ideia, colocar em prática faz toda a diferença. Isso sim está relacionado com atitude e personalidade, o que por si só não pode ser roubado por ninguém”, compartilha.

O segundo ponto que Elaine dividiu na revista diz respeito à uma antiga crença que foi quebrada. Até ir ao Vale do Silício, ela sempre teve a sensação de que o trabalho com psicologia corporativa e RH estava muito distante de ser atingido por algo disruptivo e tecnológico. “Preciso confessar que mudei de opinião. Hoje em dia, quando pensamos em conexão entre seres humanos e nas formas de nos relacionarmos, não associamos isso à tecnologia. Porém, já existem iniciativas bastante avançadas que irão transformar nossa forma de trabalhar, inclusive as atividades que envolvem pessoas”, avalia a gerente.

A profissional também mostrou sua percepção sobre Inteligência Artificial (IA): “Existe uma quantidade incalculável de dados sobre seres humanos que estão sendo criados, armazenados e analisados. Em algum tempo, poderão prover de informações precisas sobre nós, incluindo nossas reações emocionais, pensamentos e comportamentos. São algoritmos complexos, mas que associados a essa quantidade infinita de dados, nos ajudará imensamente a compreender melhor o comportamento humano” afirma.

Na visão de Elaine, IA pode significar coisas diferentes em áreas distintas e isso tem a ver com o terceiro aprendizado que ela trouxe do evento no Vale do Silício. “Essa questão se relaciona mais com ‘quem é que serve quem’. A tecnologia tem que servir e reverenciar as pessoas e não o contrário, ou seja, em nenhum momento ouvi ou li que o ser humano perderá seu papel. Ao contrário, entendi perfeitamente que nós temos habilidades que, por muitos anos, ainda não poderão ser substituídas. Dentre elas, a capacidade de surpreender, de fazer algo inusitado e fora do padrão, de criar, de inventar e, principalmente, de intuir. A intuição e a capacidade de sentir ainda são atributos distantes para as máquinas, talvez não impossíveis, mas ainda distantes”, conclui.  


Elaine Saad, Gerente Geral da consultoria SAAD YSC e ex-presidente da ABRH-Brasil

É importante que os líderes tenham consciência dessas questões, mesmo se, nesse momento, não forem aplicar alguma mudança significativa no dia a dia de trabalho, segundo Elaine. “O objetivo é estarmos abertos a um mundo disruptivo, que por meio das máquinas, conseguirá saber quem somos, onde estamos e o que queremos”, avalia.

Para finalizar, ela reflete que estamos diante de uma grande oportunidade. Afinal, toda evolução traz desafios, mas caberá a cada um decidir como vai encarar e agir nesse cenário. “Devemos compreender esse novo mundo e estarmos prontos para ele. Diante disso, eu ainda compartilho o meu quarto aprendizado: ser irrelevante será perigoso no mundo que virá”, fecha Elaine Saad, profissional com mais de 25 anos de experiência em gestão de pessoas e considerada uma das mais importantes especialistas em RH no Brasil.

Gostou do conteúdo? Na nova edição da Revista Huma, você pode conferir outras entrevistas exclusivas com especialistas de gestão de pessoas.