Autoatendimento: estratégia para melhorar o employee experience

Data 26/01/2021

O investimento em employee experience já não é mais um diferencial de mercado: se tornou uma questão primordial dentro das empresas. Isso porque as organizações buscam um alto desempenho através do nível de engajamento das equipes, ganhando em produtividade e qualidade.

A experiência do funcionário deve ser acompanhada pela área de gestão de pessoas durante todo o seu ciclo do colaborador dentro da companhia. Essa jornada começa com a vivência durante o recrutamento e vai até a relação com o ex-funcionário, garantindo a melhora do clima organizacional, a retenção de profissionais de alta performance e possibilitando a conquista de novos talentos.

Para isso, também é importante que o decorrer da jornada do funcionário seja marcada pelo diálogo contínuo e por formas de avaliação que impactem positivamente a produtividade e o desempenho do profissional.

Experiência do colaborador durante a covid-19

Com a pandemia da covid-19, a maneira com que as organizações se envolveram com seus funcionários foi diferente. Por conta disso, a experiência também precisou passar por adaptações.

A pesquisa da Kincentric realizada no final de 2020, com mais de 800 CEOs e especialistas em gestão de pessoas de 42 países, revelou como a covid-19 impactou o employee experience nas organizações e como os profissionais estão se preparando para o novo normal.

De acordo com o estudo, cerca de 50% das empresas viram a pandemia como uma aceleradora de cultura, talento, experiência e liderança. Além disso, 35% afirmaram estar testando ativamente novos procedimentos e programas.

Deste modo, a análise evidencia a necessidade de cuidado e preocupação com os funcionários neste momento. Além disso, conexão humana, empatia, compreensão e resiliência são palavras que foram usadas durante a pandemia.

Esses comportamentos melhoraram a experiência do funcionário durante a crise e também se tornaram um fator crucial para a promoção do bem-estar.

Autoatendimento como solução

Com as transformações digitais, os profissionais estão adquirindo, gradativamente, uma independência em diversos processos dentro das organizações. Isso porque algumas empresas já disponibilizam opções de autoatendimento na rotina.

De forma geral, essa ferramenta otimizou alguns processos para os colaboradores, que não precisaram mais se locomover até outro lugar ou envolver diretamente outro profissional da empresa.

Para Marcello Porto, Vice-Presidente da LG lugar de gente, quando se fala de autoatendimento na gestão de pessoas, os funcionários querem fazer as consultas de seus benefícios em qualquer lugar. “Seja pela web, através de um portal, pelo Telegram, por e-mail, por mobile, pelo relógio ou por chatbot”, explica.

Isso é, a solução deve proporcionar a entrega de informações e serviços que o profissional precisa de maneira fácil e através de multicanais. Entre as principais demandas ofertadas estão a solicitação de férias, a avaliação de performance, workflow e o ponto digital.

Outras características importantes do autoatendimento apontadas por Marcello foram:

  • Portais personalizados e parametrizados;
  • Possibilidade de atuar como ferramenta de endomarketing;
  • Navegação fácil e intuitiva, levando em conta os requisitos de usabilidade;
  • Gestores e colaboradores interagindo por meio de fluxos de trabalho automatizados.

Mas quais são as vantagens em oferecer o autoatendimento em gestão de pessoas? Como essa ferramenta pode melhorar o employee experience das equipes? Confira 3 benefícios do uso do autoatendimento pelas organizações que foram apontadas pelo especialista.

1 – Atender as necessidades do colaborador

O benefício da implantação desse serviço para o funcionário acontece na medida em que é resolvida alguma necessidade ou problema sem precisar da intervenção do gestor ou da área de gestão de pessoas.

E quais são as principais necessidades do colaborador dentro da empresa? Para Marcello, as pessoas querem saber quanto ganham, visualizar o recibo de pagamento, bater o ponto; precisam ainda solicitar férias, fazer um treinamento on-line ou uma avaliação de competências.

Segundo ele, “quanto mais fáceis forem essas consultas, mais fácil vai ser para o colaborador e maior é a chance de que essas atividades efetivamente sejam realizadas”, declara.

2 – Autonomia dos gestores

Outro benefício apontado por Marcello é que o autoatendimento possibilita uma maior autonomia dos gestores para o gerenciamento de suas equipes de forma on-line.

De acordo com o Vice-Presidente, uma das dores do setor de gestão de pessoas é contratar e treinar pessoas. E, com o uso da ferramenta, os líderes passam a colaborar com essa demanda.

Nesse momento, se tornam participantes ativos em diversos processos dentro da companhia. Assim, os próprios gestores podem fazer grande parte do processo de recrutamento e seleção, por exemplo, desafogando a área.

3 – Melhora no serviço prestado

Na medida em que há a integração dos gestores via autoatendimento nos processos internos da organização, a rotina da gestão de pessoas se torna mais ágil e participativa.

Segundo Marcello Porto, ao invés de gastar tempo para fazer atividades manualmente ou de um jeito menos produtivo, agora, automatizando o trabalho é possível se dedicar a outras ocupações.

Tecnologia como aliada do employee experience

O comportamento e a transformação tecnológica são capazes de provocar muitas mudanças no mundo empresarial. E, através disso, é possível aprimorar as experiências dos funcionários, permitindo um maior entrosamento entre as equipes.

Um exemplo citado pelo especialista é o uso de games corporativos na seleção e treinamento nas companhias. “É uma maneira mais interativa e pode gerar um maior engajamento, consequentemente, uma melhor experiência do colaborador naquele processo”, ressalta.

Ainda de acordo com o Vice-Presidente da LG lugar de gente, o mercado está vivenciando um novo cenário em relação às tecnologias e à vivência dentro das empresas.

“O que está aumentando e deve crescer ao longo do tempo é a aplicação de Inteligência Artificial nesse processo. Como as pessoas são individuais, algoritmos de IA vão conseguir entregar experiências cada vez mais customizadas”, aponta.

Segundo Marcello, a aplicação da Inteligência Artificial vai permitir que, ao longo do tempo, o sistema tenha algoritmos baseados em informações, tornando-se mais proativo para ajudar o funcionário sem que ele pergunte. “Ainda não é uma realidade, pois estamos no início, mas sem dúvidas deve caminhar nesse sentido”, conclui.

Quer ter uma ferramenta que possibilite a consulta de informações relevantes pelo próprio colaborador? Com o Gen.te Agrega – Autoatendimento da LG lugar de gente é possível centralizar os recursos para atendimento de gestão de pessoas e garantir um bom employee experience.

Compartilhe:

Comentários