Não deixe que falhas na gestão afetem os resultados da sua organização

Data 26/09/2017
falhas na gestão

A sua organização tem sofrido com falhas na gestão, provindas de situações voláteis, incertas, complexas e ambíguas? Você já sabe como lidar com a realidade no mundo VUCA (do inglês, volatility, uncertainty, complexity and ambiguity)?

Isso tudo se agrava quando, segundo estudo realizado, neste ano, pela Neotriad, 30% dos gestores afirmam que suas empresas não têm um modelo de gestão definido. E outros 30% dizem que cada funcionário estabelece as próprias atividades dentro de sua função. Christian Barbosa, maior especialista no Brasil em administração de tempo e produtividade, acredita que essa autonomia é ótima, mas questiona: “Será que essas tarefas estão alinhadas com os objetivos da empresa?” .

Para Felipe Azevedo, Vice-presidente e Diretor de HCM da LG lugar de gente, em cenários como esse, entra a gestão de capital humano, que se tornou decisiva e pode garantir que a companhia atinja seus objetivos, através do gerenciamento completo e integrado do ciclo de vida do colaborador. “Os desafios em gerir pessoas continuam (e vão se manter) os mesmos, contudo a forma de superá-los é o que vem mudando a cada dia, principalmente no que diz respeito ao avanço tecnológico”, acrescenta o vice-presidente.

Levando em consideração que desenvolver, capacitar e gerar performance têm a ver com produtividade, Christian sugere às organizações que adotem metodologias para tal fim e, aos líderes, que tomem atitudes para resolver os problemas que venham dificultar as entregas da equipe. Abaixo, ele compartilha dicas para aumentar a eficiência e, assim, melhorar os resultados corporativos:

Defina objetivos

“Ter objetivos claramente definidos é o primeiro passo para melhorar a performance da equipe. O colaborador que não sabe por qual caminho seguir perde a noção de prioridades, e a partir daí tudo se torna urgente”, destaca o especialista em administração de tempo.

Nesse sentido, o vice-presidente compreende a importância do PDI (Plano de Desenvolvimento Individual). “O documento promove uma visão das metas individuais, que devem estar associadas às departamentais e globais. Assim, uma é consequência da outra”, avalia Felipe.

Crie padrões de comunicação

falhas na gestão

Segundo Barbosa, é importante determinar padrões, seja para delegar tarefas internamente, comunicar mudanças no projeto ou acionar a equipe quando necessário. “Uma dica é ter um profissional que receba as demandas e seja responsável por delegar as tarefas da equipe. Dessa forma, com todas as atividades em um ponto central, é possível facilitar a comunicação e o processo de gestão”.

Adote uma ferramenta de gestão

“Busque uma boa ferramenta que auxilie na gestão das tarefas, ajude a delegar com eficiência e viabilize a organização do trabalho, o que permite a discussão de prioridades reais e possibilita o mapeamento de indicadores”, sugere Christian. Para ele, quando se consegue visualizar tudo o que está acontecendo ao longo de um período, o gestor tem mais liderança e, consequentemente, a performance da equipe melhora, pois os profissionais aprendem a gerenciar melhor suas atividades.

Aplique uma estratégia para envolver sua equipe

Christian reforça a importância de ter uma estratégia para ajudar as equipes a aprenderem com os erros e serem parabenizadas pelos acertos. “Quando um erro é identificado, é necessário conversar com o profissional e corrigi-lo, e, quando ele está certo, é preciso parabenizá-lo ou recompensá-lo de alguma forma para que ele se sinta parte do processo”, pontua.

Tenha indicadores

Por fim, de acordo com o especialista, um dos grandes erros cometidos pelas empresas é criar objetivos, comunicar a equipe e depois não dar algum retorno sobre o trabalho. “As pessoas gostam de saber que estão melhorando, por isso não basta ter metas. Alguns indicadores nos mostram se estamos próximos ou distantes do objetivo”, conclui ele.

Felipe Azevedo complementa dizendo que, dentro do ciclo de vida do colaborador, a visão que dashboards de carreira, juntamente com feedbacks das avaliações orgânicas podem trazer esses parâmetros do desenvolvimento do profissional e evitam muitas das falhas na gestão de pessoas. “Portanto, o líder pode (e deve) acompanhar e mostrar a progressão das competências de sua equipe de forma clara e pautado em evidência”, conclui.

Quer saber como a gestão do capital humano vai impactar sua organização? E por que o nível de produtividade de equipes pode ser trabalhado de forma integrada dentro do ciclo de vida do colaborador? Assista agora mesmo ao webinar “A revolução na Gestão do Capital Humano: ciclo de vida integrado e People Analytics”, conduzido por Felipe Azevedo, Vice-presidente e Diretor de HCM da LG lugar de gente e conheça métodos para gerir pessoas e extrair o máximo do potencial dos funcionários.

Comentários