Como uma boa gestão de pessoas pode fazer a empresa crescer 300% ao ano?

Data 01/10/2019

A importância da gestão de pessoas dentro da empresa é indiscutível. Além disso, através da abordagem certa, a área de RH pode ajudar seu negócio a obter um ritmo de crescimento constante. Foi o que o CEO da MaxMilhas, Max Oliveira, experimentou na prática quando resolveu ser dono do seu próprio negócio em 2012.

Com cerca de sete anos de existência, a companhia já vendeu mais de três milhões de passagens e possui crescimento de 300% ao ano. Para Max, aprender a liderar e inspirar as pessoas foi o ponto de partida para o sucesso do negócio. “Liderar sempre será um desafio. Depois que a sua empresa passa a ter mais de 30 pessoas, a gestão tem que mudar”, avalia.

As lições do MaxMilhas

Uma das primeiras percepções do cofundador do MaxMilhas foi a necessidade de confiar na capacidade de seus colaboradores para que seu negócio começasse a crescer.

gestão de pessoas
Max Oliveira, Cofundador & CEO da MaxMilhas

“A empresa foi crescendo e a equipe também. Porém, por muito tempo, eu continuava sendo o mesmo gestor desde o início: me preocupava com os mínimos detalhes, queria ser envolvido em tudo, acreditava que as coisas deveriam ser do meu jeito. Meu maior obstáculo foi vencer esse perfil centralizador e, para isso, precisei perceber o quanto era necessário confiar mais nas pessoas. Hoje, não só confio, como admiro muito os mais de 400 colaboradores que compartilham comigo do mesmo propósito”, revela.

O CEO explica ainda que estar alinhado ao conceito de aprendizado contínuo é imprescindível. “Aprendo algo novo todo dia com as pessoas do time, independentemente do cargo. Na MaxMilhas, conjugamos quatro verbos: amar, aproximar, arriscar e acelerar. São verbos que pulsam a nossa cultura organizacional e, uma das coisas que entendi e que faz parte desses nossos valores, é que as boas ideias vêm de qualquer lugar. Ser empreendedor é diferente de ser empresário. Delegar é confiar a ponto de se abrir para aprender com o outro”, salienta.

Acima de tudo, Max esclarece que é natural cometer erros ao começar um novo negócio, mas isso deve servir de aprendizado independentemente da posição em que se encontra. “Julgar que já estou pronto ou que já sei tudo são erros que eu, particularmente, não cometeria como gestor, muito menos como empreendedor”, afirma.

Trabalhar com pessoas e propósito

A MaxMilhas nasceu de uma experiência do próprio Max Oliveira. Em meados de 2012, ao tentar comprar uma passagem para visitar a namorada que morava em outra cidade, percebeu que o preço no site da companhia aérea tinha subido em questão de minutos, mas continuava exigindo o mesmo número de milhas da cotação anterior.

gestão de pessoas

Nesse momento, ele teve o insight do que viria a ser o negócio da MaxMilhas: “pensei que poderia comprar as milhas de alguém para adquirir a passagem. Foi aí que tive a ideia: e se existisse uma plataforma na qual as pessoas que querem vender suas milhas, pudessem colocá-las disponíveis para aquelas que desejam viajar comprando passagens mais baratas?”

Desde então, Max conta que sua relação com colaboradores e clientes se dá com a mesma intensidade de contatos pessoais. “São as pessoas que fazem a MaxMilhas. Quando criei o negócio, todas as vezes que alguém falava com a empresa, era como se estivesse falando comigo. Entender a dor do cliente e resolver os problemas deles sempre foi uma preocupação minha, que, ao longo dos anos de atuação, eu repassei para a equipe”.

A partir desse contato próximo, ele ressalta a importância das histórias de cada envolvido. Para Max, entender a singularidade de cada um que se conecta com a organização é fundamental.

“Acredito que o maior benefício em trabalhar com pessoas está na diversidade que, inclusive, é um dos nossos pilares. Entendi que para fazer o negócio dar certo é preciso ter, além de um time de pessoas certas, muita confiança. Por isso, investimos tanto nas pessoas e nos comprometemos genuinamente em transformar vidas, tanto dos nossos colaboradores, quanto dos nossos clientes”, frisa.

Como parte desse posicionamento de ter pessoas em primeiro lugar, o CEO da MaxMilhas alerta para o papel do propósito. “Para quem está começando um novo negócio e para aqueles líderes que precisam se renovar, eu sempre digo: tenha um propósito ou não tenha nada. Antes de começar a empreender ou liderar, é preciso ter um objetivo que guie as ações e as decisões. Outro ponto: lembre-se de que o cliente é o foco do negócio”, finaliza.

Quer saber mais sobre esse e outros temas relacionados às últimas tendências em gestão de pessoas? Clique aqui e leia a edição mais recente da Revista Huma.