O que o RH pode aprender com a área de Marketing sobre Analytics?

Data 19/03/2018
Analytics

O uso de ferramentas de Analytics para apoiar a tomada de decisão sobre pessoas está ganhando força nas companhias. Segundo o estudo Global Human Capital Trends 2017, realizado pela Deloitte, a análise de dados sobre o comportamento das pessoas tornou-se mais importante do que nunca. A pesquisa ressalta que 71% das empresas entrevistadas enxergam o tema People Analytics como de alta prioridade em suas organizações.

De fato, essa ciência já vem sendo aplicada há bastante tempo por outras áreas. Conforme explica o Vice-presidente da LG lugar de gente, Felipe Azevedo, a evolução dessa tecnologia se deu em ondas. “As empresas começaram a aplicar a análise de dados sobre informações financeiras e operacionais providas pelos ERPs. Já a segunda onda aconteceu quando as organizações passaram a conhecer melhor os seus clientes e a identificar comportamentos através de análises preditivas em ferramentas de CRM, hoje bastante difundidas. Essa análise de dados aplicada a  gestão de talentos, que, ao meu ver, conceitualmente deveria ter sido a primeira a receber investimentos, visto que as pessoas são os ativos mais importantes da organização, começou a ganhar espaço recentemente. Felizmente, muito bem suportada por tecnologia e metodologias”, comenta.

Analytics

Se o RH e os líderes estão começando a aprender sobre o tema, na área de Marketing esse assunto já vem sendo amplamente explorado. O uso de ferramentas de Analytics têm apoiado as empresas, por exemplo, a aumentar o tráfego em seus sites e redes sociais, bem como melhorar suas taxas de conversão em oportunidades de negócio. Pensando nisso, listamos algumas lições que o RH pode aprender com o Marketing sobre a aplicação da ciência de dados:

1 – Enxergue o Analytics como um ciclo

No Marketing, o processo de venda é norteado pela jornada de compra do consumidor, que é dividida em quatro fases: aprendizado e descoberta, reconhecimento do problema, consideração de solução e decisão de compra. Sendo que, para cada uma dessas etapas, o uso do Analytics é imprescindível para apontar os próximos passos e mapear os gaps de forma a serem ajustados com mais agilidade.

No RH não é diferente. Também existe uma jornada a ser seguida para realizar a gestão de talentos de maneira assertiva. As etapas são: atrair, motivar, engajar, desenvolver, reter e monitorar a performance. Segundo Felipe Azevedo, para cada uma dessas fases, o uso de ferramentas de análise de dados é fundamental. “O Analytics precisa ser visto como um processo e não apenas como uma análise de grande quantidade de informações. À medida que eu identifico o que vai acontecer e já ajusto as minhas ações, isso refletirá em um resultado melhor no futuro”, reforça.

2 – Invista na marca empregadora

Outra lição que o RH pode aprender com o Marketing é mensurar o retorno das atividades realizadas para promover a marca empregadora. Ou seja, das ações de Employer Branding, que são as técnicas usadas para reforçar a imagem da companhia diante dos seus potenciais colaboradores.

De acordo Pollyana Guimarães, estrategista em formação de marca pessoal com 20 anos de vivência em RH e gestão de pessoas e fundadora da Prospere Carreira, ao investir no tema, as instituições conseguem trazer os melhores funcionários para o seu time. “Isso acontece porque você não precisa ir mais atrás dos profissionais-destaque. Eles vêm até você”, afirma.

Mas como o tema está relacionado ao Marketing? Felipe destaca novamente o quanto a jornada de um candidato se assemelha a jornada de compra de um possível cliente e como o Analytics pode ajudar. “Ambos iniciam seu relacionamento ao conhecer a marca e o que ela remete em termos de valores e cultura. No caso do cliente, ele passa a ter interesse, que evolui para o desejo e finalmente a compra. O mesmo acontece no relacionamento da empresa como empregadora. Primeiramente o candidato passa a ter contato com a organização, depois considera trabalhar lá, só então busca mais informações, e, finalmente, passa a concorrer a uma das vagas disponibilizadas pela companhia. Nesse sentido, o Analytics é a ferramenta perfeita para cruzar informações do perfil definido para a vaga com as redes sociais e outras experiências do candidato”, pontua o vice-presidente da LG lugar de gente.

3 – Desenvolva a performance dos seus colaboradores

Outro ponto em comum é que a área de Marketing tem a missão de melhorar constantemente seus produtos para que eles atendam as demandas dos clientes de forma satisfatória. O mesmo acontece com o RH, que precisa desenvolver práticas que mantenham as equipes motivadas, engajadas e produtivas.

Pensando nisso, Felipe ressalta que existem muitas ferramentas que podem contribuir com essas necessidades. “Seguindo a jornada de relacionamento com a empresa, após a atração, precisamos motivar esse colaborador. Podemos fazer isso, por exemplo, através do uso de games que ajuda, não apenas a engajar o funcionário, mas, sobretudo, a mapear os pontos a serem desenvolvidos. Além disso, através do uso de uma solução de People Analytics, o RH consegue segmentar quais são os colaboradores mais produtivos, que possuem foco no cliente e geram lucro para a empresa. Identificando assim um perfil a ser desenvolvido nos demais funcionários” completa.

Quer saber mais sobre o uso de Analytics na gestão de pessoas? Clique aqui e assista ao webinar “People Analytics: a ciência de dados chegou ao RH”, conduzido por Felipe Azevedo, Vice-presidente da LG lugar de gente.