Saúde e Segurança do Trabalho: esclareça as dúvidas sobre a terceirização

Com a atualização da Norma Regulamentadora 4, a partir de agora, é possível terceirizar a gestão de SST. Veja os benefícios e desafios desse processo para as empresas.

Como é feita gestão de Saúde e Segurança do Trabalho (SST) na sua empresa? Desde a recente atualização na Norma Regulamentadora 4, que estabelece os parâmetros e requisitos para a constituição e manutenção do Serviços Especializados em Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT), as companhias podem terceirizar esse processo. Mas, afinal, vale a pena aderir?

Para responder essa questão, convidamos Eduardo Milaneli, Presidente da FAPonline, e Marcello Porto, Vice-Presidente de Novos Negócios da LG lugar de gente. No 59ºepisódio do Podcast Pra Gente, eles esclarecem as principais dúvidas sobre terceirização da gestão de Saúde e Segurança do Trabalho e deixam dicas para empresas não errarem na hora de escolher um parceiro. Confira o desdobramento do episódio neste artigo.

O que é a terceirização da gestão de Saúde e Segurança do Trabalho?

A terceirização da gestão de SST diz respeito à contração de uma prestadora de serviços especializada para realizar atividades relacionadas à área em nome da empresa contratante.

Essa prática tem se tornado cada vez mais comum, sendo possível envolver várias atividades como a inclusão de avaliação de riscos, treinamento de segurança, monitoramento de saúde dos trabalhadores, entre outros.

“Agora, é possível que todos os integrantes do SESMT, de acordo com o dimensionamento de cada empresa, sejam terceirizados. Ou seja, não precisa ter um responsável contratado em seu CNPJ, ela pode ter uma prestadora de serviços que fará a gestão desses profissionais”, destaca Eduardo.

No entanto, de acordo com o especialista, é importante lembrar que a empresa contratante continua sendo responsável por garantir a saúde e segurança de seus funcionários, mesmo que a gestão de SST seja terceirizada.

Quais os benefícios de terceirizar a gestão de Saúde e Segurança do Trabalho?

Eduardo destaca que a área de SESMT está diretamente ligada à sustentabilidade de um negócio e sua terceirização pode trazer vários benefícios, principalmente, se utilizada de forma estratégica.

Ele lista os principais benefícios da terceirização da gestão de Saúde e Segurança do Trabalho quando as empresas contam com um parceiro confiável. Confira:

  • Especialização: uma empresa especializada na gestão de SST pode ter conhecimentos técnicos e práticos mais aprofundados sobre os riscos e perigos do ambiente de trabalho, bem como sobre as normas e regulamentações de saúde e segurança.
  • Redução de custos: terceirizar a gestão de SST pode ser mais econômico do que manter um departamento interno, que exige o investimento em funcionários, equipamentos e tecnologias.
  • Foco no negócio: terceirizar a gestão de SST permite que a empresa foque em suas atividades principais, enquanto o parceiro se concentra em questões relacionadas à segurança e saúde dos funcionários.
  • Melhoria na eficiência: uma empresa especializada em SST pode trazer novas técnicas e práticas que ajudam a melhorar a eficiência das operações diárias.
  • Redução de riscos: ao terceirizar a gestão de SST, a empresa pode ter um parceiro experiente em identificar e reduzir riscos, possibilitando uma redução na ocorrência de acidentes e doenças ocupacionais.

Quais os desafios ao terceirizar a gestão de SST?

Embora a terceirização da gestão de saúde e segurança do trabalho (SST) possa trazer diversas vantagens, Eduardo reforça que há impasses que devem ser considerados pelas companhias. Entre eles, destacam-se:

  • Comunicação: o diálogo entre a empresa e a terceirizada pode ser um desafio, especialmente se houver problemas ou mudanças que precisem ser abordados rapidamente. Por isso, garantir uma boa comunicação entre as partes é fundamental para evitar mal-entendidos e erros.
  • Controle de qualidade: a empresa pode ter menos controle sobre a qualidade da gestão de SST terceirizada do que teria com uma equipe interna. É preciso escolher cuidadosamente um parceiro confiável e estabelecer processos para monitorar sua performance.
  • Diferentes culturas organizacionais: para evitar conflitos, estabeleça expectativas claras junto ao parceiro desde o início. Trabalhem juntos para alcançar os objetivos de saúde e segurança do trabalho.
  • Custos: dependendo do parceiro escolhido e dos serviços que ele oferece, a terceirização da gestão de SST pode ser cara. É importante equilibrar custo x benefício para que o investimento faça sentido.
  • Responsabilidade: a empresa ainda é legalmente responsável pela saúde e segurança de seus funcionários, independentemente de ter terceirizado a gestão de SST ou não. É importante garantir que o parceiro esteja cumprindo com as normas de segurança no trabalho e tomar medidas corretivas se houver problemas.

Outro ponto de atenção, segundo Eduardo, é a hierarquia da área de SESMT dentro das organizações. “Ora responde ao jurídico, ora responde ao RH ou até mesmo ao departamento de qualidade. O fato de não ter uma estrutura definida pode ser desafiador no processo de terceirização”, aponta o Presidente da FAPonline.

O que avaliar em um parceiro para a gestão de SST?

Diante de tantos benefícios e desafios, Eduardo recomenda que as empresas tenham critérios bem definidos no momento de escolher um parceiro para realizar a gestão de Saúde e Segurança do Trabalho. Veja o que considerar na avaliação:

  • Credenciais: verifique se o parceiro tem as credenciais necessárias para fornecer serviços de gestão de SESMT, como certificações em saúde e segurança do trabalho.
  • Experiência: procure um parceiro com experiência em gestão de SST em sua indústria ou setor específico, para que eles possam entender as necessidades e riscos específicos do seu negócio.
  • Serviços oferecidos: verifique se o parceiro oferece os serviços de gestão de SST de que sua empresa precisa, como avaliações de riscos, treinamento de segurança e monitoramento de saúde.
  • Tecnologia: verifique se o parceiro utiliza tecnologia moderna para gestão de SST, como soluções de monitoramento e registro de dados.
  • Comunicação: certifique-se de que o parceiro possa se comunicar efetivamente com sua empresa, fornecendo atualizações regulares sobre o progresso dos projetos e o status da gestão de SST.
  • Preço: avalie se eles oferecem um valor justo pelos serviços que fornecem.

Portanto, fica claro como a terceirização é uma alternativa para gerir essas atividades de maneira eficiente e estratégica. Especialmente, porque uma má gestão dos riscos ocupacionais pode afetar significativamente a sustentabilidade, lucratividade e imagem das organizações.

Quer terceirizar a gestão de Saúde e Segurança do Trabalho na sua empresa? Com a FAPonline, você estará em dia com as questões burocráticas e de conformidades legais trabalhistas, além de contar com um time altamente qualificado, apto para atender as necessidades do futuro, com conhecimento específico e qualificado na digitalização dos processos. Clique aqui e conheça.

Priscila Cruz

Priscila Cruz

Professora de Língua Portuguesa por formação, Analista de SEO por paixão. Atualmente, pós-graduada em Marketing e Growth para aprender a aliar criatividade com crescimento estratégico e acelerado. Acredito que a produção de conteúdo pela internet é o caminho para democratização do acesso ao conhecimento. Por isso, explore comigo as tendências de RH e todo o universo da gestão do capital humano!

Newsletter Huma

Cadastre-se e receba

nosso conteúdo exclusivo

Você está fornecendo o seu consentimento para a LG lugar de gente para que possamos enviar comunicações de marketing. Você pode revogar o seu consentimento a qualquer momento. Para mais informações, consulte nossa Política de Privacidade.