fbpx

7 passos para promover a inovação em pequenas e médias empresas

Data 08/06/2021

A inovação em pequenas e médias empresas já é uma realidade no mercado brasileiro. A 9ª edição da pesquisa “O impacto da pandemia de Coronavírus nos Pequenos Negócios”, realizada pelo Sebrae, apontou que 43% das companhias participantes se modernizaram de alguma forma em 2020. O levantamento, que ouviu 6.138 empresários, indicou que, sobretudo em momentos de crise, as organizações passaram a procurar e a estimular novas formas de funcionamento.

Este assunto foi abordado na “Semana das Pequenas e Médias Empresas: ajudando seu negócio a inovar na gestão de pessoas”, promovida pela LG lugar de gente. No evento, Fábio Carneiro, Diretor do Deloitte Private e do CFO Program Brasil, falou sobre as perspectivas de inovação para PMEs, a partir de seus mais de 20 anos de experiência. Confira sete passos levantados pelo gestor para promover a inovação em pequenas e médias empresas.

1. Foque na mudança de mindset

Para Fábio, o principal desafio para a inovação em pequenas e médias empresas não está na tecnologia, mas na renovação de mentalidade. “Fazer parte da era digital não necessariamente significa que eu vou ser o mais tecnológico, já que ela exige não só uma mudança ferramental, mas também uma grande transformação de mindset”, explica.

Nesse sentido, segundo ele, a transformação digital pode ser exercitada em organizações de diferentes portes e segmentos. “A partir de atitudes que exijam um olhar diferente para os negócios, para os canais, para a forma como os nossos clientes desejam interagir conosco, que a gente pense e faça diferente”, reflete.

2. Traga a tecnologia do dia a dia para dentro da empresa

O gestor identifica que a inovação em pequenas e médias empresas caminha mais devagar do que as novidades nas tarefas cotidianas. “Em nosso próprio telefone temos processamento in-memory, cloud e visualização avançada. Enfim, usamos várias tecnologias que, muitas vezes, demoram para chegar nas empresas, mas que a gente já usa no dia a dia”.

Se levarmos essa mentalidade para dentro dos negócios, eles terão acesso a mais inovação, até mesmo a partir de tecnologias já existentes. “Vemos os ERPs e sistemas de gestão se tornando grandes aplicativos e avançando rapidamente no uso de dados, criando conexão entre o mundo físico e o digital”, afirma.

Fábio nota que algumas empresas até automatizam certas funções, mas continuam trabalhando da mesma forma, sem mudar o modelo de negócio da operação. Para ele, isso configura um problema. “Invista em modelos de operação mais ágeis, estruturas mais horizontais, capacidade de governança e menos hierarquia”, completa.

3. Aprenda continuamente

Se você pretende investir em inovação em pequenas e médias empresas, deve buscar conhecimento sobre as tecnologias disponíveis e outros fatores que têm impacto nelas. “Não precisa se tornar um programador, mas você deve saber como cada tecnologia vai influenciar seu negócio e como pode usá-la para fazer melhor o que você já faz hoje. Assim, poderá se voltar às habilidades comportamentais ou soft skills”, aconselha Fábio.

Essa, na verdade, é uma das principais contribuições que a tecnologia pode oferecer às companhias: aumentar a capacidade analítica das pessoas para antecipar e se adaptar aos diferentes contextos exigidos pelo mercado. “Você deve aprender, construir novas habilidades, estudar em novas fontes de conhecimento, que não necessariamente vão estar em sua empresa, em uma faculdade ou pós-graduação”, diz o profissional.

4. Esteja preparado para tomar decisões

Fábio argumenta que a inovação em pequenas e médias empresas deve exigir pessoas preparadas para tomar decisões. “A partir do momento em que existe um robô consolidando dados e preparando as informações, você se tornará um tomador de decisões”, garante.

Nesse ponto, é essencial fomentar o pensamento estratégico, a visão holística e conhecer o negócio como um todo. “Assim, se você é um profissional de RH, não pode conhecer só o RH, precisa entender de todo o business”, orienta o líder.

5. Erre rápido

A grande máxima das startups também é abordada por Fábio como um caminho importante no estímulo a processos inovadores em PMEs. Quando a falha acontece logo, a empresa se torna capaz de lidar e aprender com ela, sem gerar maiores custos que são comuns em projetos longos e complexos. “A gente tem que desconstruir aquele pensamento de que falhar é ruim. Falhar pode ser bom, contanto que você aprenda e faça melhor e mais rápido”, destaca ele.

6. Invista em um RH inovador

Para Fábio, o departamento tem um papel central no processo de inovação em pequenas e médias empresas. “A gestão de pessoas é um agente de formação da equipe e, com as ferramentas estratégicas de RH, o setor consegue mudar o mindset e a cultura das companhias”.

Utilizando tecnologia nas atividades tradicionais da área, como folha de pagamento e controle de ponto, é possível abrir espaço para o setor assumir discussões mais significativas para o negócio. “O RH se torna mais estratégico à medida que quebra as barreiras departamentais e usa tecnologias que tiram o peso do operacional de algumas pessoas, trazendo resultados para elas e para a organização”, pontua.

7. Escolha bem seu parceiro de tecnologia

Para que a inovação em pequenas e médias empresas tenha sucesso, é fundamental contar com um parceiro de tecnologia que apoie em todas as fases de transformação. Modernizar e simplificar a gestão de pessoas na sua organização permitirá que sua empresa esteja à frente do mercado. Além disso, abre espaço para a aprendizagem contínua e tomada de decisão eficiente, impactando em todos os pontos de uma empresa inovadora.

A LG lugar de gente tem mais de 35 anos de experiência com tecnologia para gestão de pessoas e oferece uma suíte completa e integrada de tecnologia em nuvem, para empresas de todos os tamanhos e segmentos, que acompanha toda a jornada do colaborador, desde a seleção até a sucessão ou aposentadoria.

Para saber mais sobre como a inovação em pequenas e médias empresas pode ser promovida na sua realidade, assista aos webinars da Semana das Pequenas e Médias Empresas. O evento abordou iniciativas de negócios que entraram para os rankings das organizações que mais crescem no Brasil, discutiu como diagnosticar falhas nos processos gerenciais em PMEs e apresentou os fatores de sucesso no mercado. Clique aqui e assista.

Compartilhe:
Comentários