fbpx

RH e experiência do usuário: sistemas para revolucionar processos, tempo e qualidade de vida na empresa

Data 25/01/2022
RH e experiência do usuário

Um dos maiores desafios entre o RH e experiência do usuário está na comunicação e atendimento aos colaboradores. Serviços e processos quando feitos de forma manual acabam gerando atrasos e erros, implicam em reclamações e afetam a produtividade e o bem-estar da organização. É nesse ponto que os sistemas para Gestão de Pessoas podem ser muito úteis ao otimizar o trabalho de toda a área e impactar positivamente a experiência das pessoas.

Roney Alvarenga, Gerente de Recursos Humanos na VLI Logística, conversou com Rogério Davi, Diretor de Sucesso do Cliente na LG lugar de gente, sobre Experiência de Usuário em Sistemas e Aplicações no #38 episódio do Podcast Pra Gente. Com colaboradores espalhados por inúmeras partes do Brasil, não seria possível realizar a gestão de pessoas sem a ajuda da tecnologia para RH que potencializam a realização das tarefas e promovem uma boa vivência para os funcionários.

Melhorar a tecnologia é melhorar a produtividade

A relação entre o processo de digitalização da empresa e os resultados produzidos pelas pessoas é direta. É nisso que acredita Roney, ao afirmar que “quanto mais eficiente e disponível a conexão e o sistema para RH e experiência do usuário for, melhor a produtividade“.

Essas ferramentas concedem a conexão do empregado com os objetivos da empresa, já que não precisará investir muito tempo em tarefas que, quando digitalizadas, são simples. Isso permite que o profissional se debruce mais estrategicamente sobre o próprio trabalho. “Naturalmente, o colaborador, interagindo com a estratégia da companhia, vai conseguir perceber o valor da automação e fazer sua atividade do dia a dia da melhor maneira possível”, constata o gerente de RH.

Facilidade é a palavra de ordem

Os sistemas para RH e experiência do usuário podem ser usados desde o processo de aprendizagem até a prestação de serviços próprios da gestão de pessoas, agilizando de forma geral os processos internos. Roney conta que as ferramentas permitem acesso à universidade corporativa, o que possibilita a realização treinamento on-line de capacitação, de ambientação, trabalhar temas relevantes e tópicos de carreira.

Outro ponto que ele destaca é que essas soluções e plataformas digitais permitem que o colaborador possua recursos para obter seus benefícios através de maneiras simples. A prestação de serviços em dispersão – caso das empresas com funcionários espalhados por diversas localidades –, é facilitada por esse tipo de tecnologia. Assim é viável, por exemplo, cadastrar um filho no plano de saúde pelo celular, sem demandar deslocamentos e perda de tempo.

“É possível entrar em contato com a estrutura de administração de pessoal e anexar os documentos necessários, solicitar algum tipo de benefício pecuniário, alterar os dados contábeis, endereço, formação, capacitação etc. Temos feedbacks positivos na transformação digital”, detalha o Gerente.

Como escolher a tecnologia para sua empresa?

Apesar das vantagens claras, não basta que a empresa obtenha qualquer sistema para RH. A solução precisa ter uma interface atrativa, otimizada e com boa usabilidade. Isso irá garantir sua adesão pelos colaboradores e promover um processo de descentralização de tarefas.

Vale ressaltar que o software precisa ser pensado levando em consideração que será usado por pessoas comuns, que muitas vezes não são, necessariamente, pessoas com conhecimento avançado em tecnologia. Assim, a ferramenta deverá ser intuitiva, pois se o usuário não conseguir manusear, se frustrará e optará pelos meios tradicionais.

“Há uma gama de soluções disponíveis, mas que necessitam ser democráticas e acessíveis para os mais variados fins da organização. Quando se tem pessoas com conexões e afinidades com serviços digitais e outras não, precisa ter uma melhor interface para criar uma interação homem-máquina bastante simples e interativa”, defende Roney.

Dessa forma, um dos maiores desafios das empresas é utilizar-se de plataformas e sistemas para RH que sejam simples e ágeis, gerando valor para o colaborador e para a organização.

Segundo o gestor, quando se consegue oferecer esses serviços remotamente, pode-se responder a qualquer tempo a necessidade do funcionário. “Quando você precisa fazer o caminho inverso, como atendimento presencial ou solução disponibilizada de maneira complexa, não vai gerar atrativo para que a pessoa confie e utilize aquele mecanismo digital, o que vai gastar mais tempo do colaborador e da organização para atendê-lo”.

Melhorando a gestão de pessoas

De acordo com Roney, as necessidades do mercado, sobretudo com a pandemia, fizeram crescer rapidamente o acesso a soluções tecnológicas que permitiram romper barreiras sentidas nos últimos anos. As organizações precisavam acelerar sua implementação e eliminar a distância entre o colaborador e o serviço demandado por ele.

Para ele, a utilização de soluções intuitivas tem reflexo no cotidiano das companhias. “A digitalização dos processos colocou boa parte dos serviços na mão do colaborador, trazendo uma democratização do acesso. Isso porque, de fato, começou a interação entre a administração de gente – com suas políticas, benefícios e serviços – diretamente com o empregado, sem passar pelo gestor ou analista. Ganhando tempo em toda a cadeia de liderança e suporte, e tendo contato direto com o funcionário, que é o destinatário daquele serviço”.

Nesse cenário, há mais produtividade para todos. “A automatização tem potencializado a capacidade de atender a necessidade do colaborador final, liberando tempo para as tarefas estratégicas e compromissos operacionais”, diz Roney.

RH e experiência do usuário na palma da mão

O caso da VLI é um modelo para o mercado que adere a um sistema para RH que envolve, inclusive, um aplicativo simples acessado via celular. A empresa incrementou suas soluções aos poucos, conforme as necessidades eram sentidas.

O fato de os funcionários já disporem previamente de smartphones fez com que não demandassem mais o atendimento presencial. “O aplicativo facilita desde a obtenção do demonstrativo de pagamento, solicitação de serviços, agendamento de férias, marcação de ponto, acesso a todos os benefícios e cadastros. É uma jornada que cresce de acordo com a percepção das necessidades”, conta Roney.

Com o aplicativo é possível trazer mais facilidade e produtividade para o empregado. “Imagine o colaborador com problema de recebimento de algum benefício, sem conseguir resolver. Isso competirá com sua jornada de trabalho e suas obrigações. A ideia é deixar o funcionário tranquilo para que ele consiga se concentrar no seu ofício sem se perturbar com outras coisas e ter sua energia drenada. Com isso, ele poderá crescer, se dedicar ao aprendizado e à relação com os outros da equipe”, finaliza.

É papel do RH promover a digitalização da área e fomentar o autosserviço, simplificando os processos com foco na melhoria da experiência do colaborador e ganho de tempo para se dedicar às estratégias de talentos. É por isso que a LG lugar de gente desenvolveu um sistema de RH completo o Suite Gen.te nuvem. Conheça a plataforma e entenda como ela transformará sua gestão de pessoas.

Compartilhe:
Comentários