fbpx

Como ser um profissional de RH 5.0 e se destacar no mercado?

Data 15/06/2021

Você já ouviu falar em RH 5.0? Recentemente, apresentamos a evolução da gestão de pessoas aqui no Blog e vimos que essa fase é marcada pela utilização de tecnologias como Big Data, Inteligência Artificial (IA) e Internet das Coisas (IoT), para criar soluções com foco no bem-estar e nas necessidades humanas. Diante de tantas mudanças, o profissional de recursos humanos precisa se reinventar para conseguir atender as necessidades das empresas e destacar no mercado.

Segundo a pesquisa “Tendências globais de negócios de capital humano 2021”, realizada pela Deloitte, essa transformação tem colocado a gestão de pessoas no centro das organizações. Os líderes entrevistados apontaram o investimento em capacidade cultural (45%), humana (41%) e tecnológica (35%) como as mais importantes para um trabalho transformador.

O levantamento indica que o RH vem mudando ao longo do tempo, assumindo um papel cada vez mais estratégico e ganhando a responsabilidade de rearquitetar o trabalho em toda a empresa. Isso inclui considerar as questões humanas em todos os aspectos do ofício, colaborar com a organização e outros líderes funcionais.

Entenda os novos aspectos dessa nova forma de organizar a gestão de pessoas, o papel da tecnologia e as dicas para quem quer investir cada vez mais na área.

Um profissional mais relevante para empresa e mercado

O profissional de RH 5.0 tem maior capacidade de contribuir com as empresas, acompanhar as mudanças e impactar o negócio. É no que acredita Jorge Feliciano, Executivo de Gente & Gestão do Grupo Martins Atacadista. “Ele investe em novas competências técnicas e comportamentais, fundamentais para sua atuação em um ambiente empresarial em constante evolução”.

Jorge defende uma tríade para que o RH esteja apto a alcançar o patamar estratégico que reflete no crescimento do negócio. Confira:

  • Preparação: abertura para novos aprendizados, competências comprovadas, desapego à velhas crenças e diversidade de conhecimento.
  • Proximidade: profundo conhecimento do negócio, presença junto às lideranças, ouvindo e atuando nas reais necessidades dos gestores.
  • Protagonismo: ter alta credibilidade e ser agente de mudanças, liderando, apoiando e influenciando a organização rumo à melhoria contínua através das políticas e processos de gestão de pessoas.

Gestão da Experiência Humana

O especialista compreende que a atuação do departamento está evoluindo de Human Capital Management (Gestão do Capital Humano) para Human Experience Management (Gestão da Experiência Humana), que é fortemente ligada ao RH 5.0.

“Acredito que esta evolução ocorre fruto da maturidade e relevância que a área conquistou nos últimos anos, especialmente por uma atuação mais pragmática e com alto foco em resultados e melhorias de processos. A competitividade do mercado aumentou muito e as pessoas desejam ter experiências profissionais mais qualitativas e com um propósito claro e relevante”, diz.

Dessa forma, segundo ele, os profissionais de RH têm um papel de destaque dentro das empresas. “Ao atuarem no sentido de encarregar-se das estratégias de negócios através das pessoas, adotar ferramentas e instrumentos de gestão do capital humano adequados e fortalecer a cultura organizacional”, completa o líder.

Tecnologia como aliada

O relatório da Deloitte indica que o uso de ferramentas digitais torna possível mudar a natureza do trabalho para que se aproveite ao máximo as capacidades humanas. De acordo com o estudo, as ferramentas de colaboração aprimoram a formação e a conexão de equipes, enquanto a inteligência artificial orienta as pessoas na tomada de decisões. As tecnologias integradas com pessoas oferecem maior possibilidade para resultados ágeis e escaláveis.

Jorge reconhece a importância do uso de soluções digitais no RH 5.0 e frisa seus benefícios. “O investimento em tecnologia permite às empresas adotar ferramentas adequadas para uma transformação digital da área, propiciando uma gestão de pessoas estruturada, ágil, eficiente e inovadora”, afirma.

Ele acredita que as novas tecnologias provocarão uma grande revolução na gestão de pessoas. “Isso permitirá experiências digitais ágeis e intuitivas para gestores e colaboradores, possibilitando mobilidade, flexibilização de horários para treinamentos e desenvolvimentos, customização personalizada e sob medida para atender a necessidade dos profissionais, no tempo e da forma mais adequada às necessidades de uma organização”, afirma o líder.

Além disso, Jorge prevê que a tomada de decisão sobre pessoas será muito rápida e assertiva em virtude da capacidade de análise de dados em tempo real e da utilização de algoritmos. “Inteligência artificial, people analytics, business intelligence, machine learning, gamificação, treinamentos on-line e a utilização de aplicativos e processos digitais são apenas algumas das novas tecnologias que vieram para ficar”, destaca.

Já sou um líder de RH 5.0, e agora?

Para ele, os profissionais que já acompanham as transformações que criaram o RH 5.0 devem, a partir de agora, promover essa evolução em suas equipes e pulverizá-la por toda a empresa. “Ele deve ampliar a credibilidade junto à alta direção das organizações para maior influência na tomada de decisões sobre pessoas, buscando o autoconhecimento, o autodesenvolvimento e a constante adaptação às novas tecnologias, com humildade para adquirir novos aprendizados que simplifiquem a vida de gestores e colaboradores”, finaliza Jorge.

Quer mais dicas e insights para se aprimorar como um profissional de RH 5.0? Confira o talk show que a LG lugar de gente preparou sobre o tema. O evento contou com a participação do Jorge e de outros grandes nomes da área de gestão. Clique aqui para rever.

Compartilhe:
Comentários