Nem só de samba e de futebol: Brasil é o país do bônus por rendimento!

Data 30/01/2012

 

Os bônus recebidos pelos executivos brasileiros são os maiores, na comparação com outros países da América Latina. Os altos profissionais brasileiros recebem em média um incremento de 39% no salário anual, enquanto na Colômbia, que vem logo atrás, os empresários recebem 31%, em média, de acordo com um levantamento da consultoria Mercer.

Ao levarmos em conta o contexto global, o Brasil se insere entre os principais países que mais pagam esse tipo de gratificação ao funcionário. Geralmente os pagamentos de bônus são realizados uma vez por ano, salva as exceções, como o setor bancário e financeiro. Em todos os setores, os pagamentos acontecem, em grande parte das vezes, de janeiro a abril do ano seguinte.

De acordo com o diretor de Desenvolvimento de Negócios da Mercer, Marcelo Ferrari, após a superação da crise, o País baterá recorde de bonificações pelos resultados obtidos em 2010.

“A crise afetou bem menos o Brasil. A expectativa é de que o bônus caia muito pouco [em 2009], mas que se recupere plenamente em 2010. Não houve um recuo substancial, porque as empresas no Brasil não tiveram quedas acentuadas”, afirma Ferrari.

O ano em que meu bônus "saiu de férias"

O período de 2008, segundo o diretor, entrou para a história no que diz respeito às bonificações. O crescimento de 5% da economia fez com que as empresas tivessem aumento nas vendas e na lucratividade, itens que influenciam o pagamento de bônus.

Um diretor de uma grande empresa instalada no País recebeu facilmente em 2008 seis salários como forma de bônus, de acordo com pesquisa realizada pela Mercer. Os setores de bens de consumo, farmacêutico e automotivo puxaram a maior demanda por bônus.

De todo modo, Ferrari faz estimativas para 2009 de queda entre 5% a 10% no pagamento de bônus. "Como 2008 foi uma base muito boa, essa queda é bem pequena”, avalia Ferrari. Contudo, o resultado oficial do ano passado só será fechado em agosto, quando o levantamento, perante as mais de 300 empresas participantes, estará encerrado.

Quebra de recordes

Para os bônus de 2010, que serão pagos no primeiro trimestre do ano que vem, a percepção do diretor é positiva. “A expectativa é de bônus recorde”, revela. Segundo ele, as boas safras deste ano predominam nas finanças das empresas, fazendo inclusive com que as companhias estejam acima das metas.

O incremento esperado é amparado nas fortes respostas do mercado brasileiro, nas previsões de crescimento do PIB acima de 5%, nos investimentos estrangeiros no País e, principalmente, no fortalecimento do mercado doméstico. Setores de infraestrutura e construção civil puxam essa demanda, classifica Ferrari.

Diante das boas expectativas, a remuneração variável, representada comumente no País pelo bônus, depende do resultado da empresa e do funcionário. Dotado de tamanha expectativa, o ano de 2010 deverá superar o de 2008.

Essa notícia foi publicada na Info Money, em 20/05/10.