Projeto de reforma previdenciária já causa impacto nas empresas

Data 22/03/2017

Você sabia que a proposta de reforma previdenciária já afetou muitas empresas? Em discussão na Câmara dos deputados desde dezembro de 2016, a Proposta de Emenda à Constituição 287 (PEC 287) que trata da reforma da Previdência Social está fazendo com que profissionais em todo país entrem com o pedido de aposentadoria antes do previsto pelas companhias, com receio de perderem os benefícios já adquiridos por conta das alterações propostas. Segundo informações do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e Ministério da Previdência Social enviadas ao blog Huma, houve alta de 11,37% nas solicitações feitas em janeiro e fevereiro desse ano, comparado ao mesmo período de 2016.

Entre as mudanças sugeridas pela reforma previdenciária está a fixação da idade mínima de 65 anos para requerer aposentadoria e o aumento do tempo mínimo de contribuição. O texto ainda propõe uma regra de transição para que trabalhadores que estejam há mais tempo no mercado não sejam muito afetados, onde mulheres acima de 45 anos e homens acima de 50 teriam um pedágio de 50% sobre o benefício até completar o tempo previsto na reforma. Aposentados e aqueles que completarem os requisitos para solicitação até a aprovação do projeto não serão afetados.

De acordo com informações do INSS, em 2015, foram feitos 1.059.693 pedidos de aposentadoria. Em 2016, esse número aumentou para 1.310.412, um crescimento de 23,7%. Os especialistas em Previdência já esperavam essa corrida pelo benefício. Vilson Romero, presidente da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Anfip), disse em entrevista ao El País: “Ameaça de mudanças é sempre na direção de novas exigências. Amedronta o trabalhador que vai em busca de um mínimo garantido de recursos para sua sobrevivência”, afirma.

Impacto nas empresas

Esse aumento na demanda pelo benefício não afeta apenas o governo: pode exigir mudanças também por parte das empresas, mais especificamente do RH, que corre o risco de perder colaboradores antes do esperado, sem ter se preparado para esse cenário. Entre os impactos, está a não retenção do conhecimento desses funcionários mais antigos, que estão saindo das organizações sem tempo hábil para se preparar para o pós-carreira. Além disso, caso a proposta seja aprovada, as companhias devem se preparar para um aumento de gastos com planos de saúde para uma força de trabalho mais velha e precisarão rever seu plano de cargos e carreiras, a fim de garantir uma evolução salarial equilibrada.

A área de gestão de pessoas também deve estar atenta a motivação e produtividade do colaborador, que estaria próximo a idade de se aposentar. É o que afirma Elaine Saad, Presidente da ABRH-Brasil, em entrevista ao Pessoas de ValoRH: “Eles verão o sonho da aposentadoria sendo adiado. Nesse momento, precisarão de muito apoio do RH para que essa frustração não se transforme em desengajamento” ressalta.

Com informações de El País, Você RH e Pessoas de ValoRH

Comentários